Colunas

Sergio Brant, um herói da conservação da natureza

O analista ambiental que influenciou decisivamente no estabelecimento e na delimitação de sessenta unidades de conservação se aposenta do serviço público

26 de agosto de 2019 · 2 anos atrás
  • Maria Tereza Jorge Pádua

    Engenheira agrônoma, membro do Conselho da Associação O Eco, membro do Conselho da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Nat...

Sergio Brant se despede do serviço público. Foto: Marc Dourojeanni.

Estes dias recebi uma breve nota de Sergio Brant com apenas a seguinte e brevíssima informação “hoje me aposentei”.

Fiquei pensando no que isto significava. Para mim foi perder o diálogo com alguém que sempre esteve dentro da área pública ambiental, com a mesma posição ética, tecnicamente competente e radicalmente honesta. Foi dos poucos que resistiram bravamente, desde o miolo da burocracia, sem mudar o seu Norte. Ele foi por muitas décadas, para todos nós que fazemos conservação da natureza, o porto seguro, o advogado de nossas preocupações, o incansável lutador.

Embora com tempo para sua aposentadoria, resistia no posto para cumprir tarefas fundamentais para as unidades de conservação, como documentar estratégias legais para evitar iniciativas para reduzir suas áreas ou que as degradassem, passando-as a categorias menos protegidas ou que se cometam outras ameaça contra unidades de conservação já estabelecidas. Tinha ainda uma grande agenda de processos para estabelecer novas unidades de conservação, julgadas indispensáveis por motivos científicos. Ele não era apenas um bom funcionário. Batalhava e enfrentava os poderosos e, principalmente, sofria com cada processo, que tratava como casos pessoais. E apesar da sua limitada saúde, visitava as áreas pessoalmente para poder fundamentar bem suas defesas das áreas naturais ameaçadas. Nessa luta constante ele não se alinhava com nenhuma das tendências políticas. Sua única lealdade foi com a conservação da natureza e com o Brasil.

Além de analista, um dedicado fotógrafo de natureza. Foto: Marc Dourojeanni.

Sua aposentadoria foi fruto da displicência com que atualmente se submete a muitos dos melhores funcionários do setor ambiental. Ele não queria sair. No entanto destacado onde não poderia seguir defendendo as áreas protegidas, optou por se aposentar. Não vai se aposentar da luta pela conservação. Dentre as suas muitas virtudes, ele também é um extraordinário e já premiado fotógrafo da natureza. Assim que continuará no combate com outras armas.

No entanto o que mais impressiona é que se aposentou sem penas e nem glórias. Nenhum jornal noticiou. Não foi feita uma festa de despedida e nenhuma autoridade do setor lhe agradeceu publicamente por todo seu feito e pelas décadas ao serviço do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal (IBDF), do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Quem registrou ou vai registrar que ele foi responsável pela preparação de dezenas de decretos de estabelecimento e delimitação de Parques Nacionais ou de outras unidades de conservação? Quem sabe que foi sob sua batuta que surgiram as propostas mais cientificamente detalhadas do Plano do Sistema de Unidades de Conservação do Brasil? Quem sabe que foi ele que preparou a proposta da criação do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha, do Parque Nacional São Joaquim e de muitos outros? Na hora da despedida alguém precisa dizer que ele influenciou decisivamente pelo menos no estabelecimento e a delimitação de sessenta, sim, sessenta unidades de conservação. Sergio também teve muitos cargos nos órgãos acima mencionados. No entanto, nunca, pois não é seu estilo, foi paparicado ou homenageado por isto. Esse foi um preço a pagar pela sua discrição.

Sergio Brant é um verdadeiro herói da conservação da natureza no Brasil. Então deixa-me dizer em nome de meus filho e netos: Obrigada, Sergio, por fazer para nosso país e para a nossa área ambiental tudo que você fez, modesta e silenciosamente. Palmas, palmas e mais palmas, meu grande amigo.

 

As opiniões e informações publicadas na área de colunas de ((o))eco são de responsabilidade de seus autores, e não do site. O espaço dos colunistas de ((o))eco busca garantir um debate diverso sobre conservação ambiental.

 

Leia Também 

Sérgio Brant anuncia o seu time no ICMBio

Dança das cadeiras: Sérgio Brant volta para o Ministério do Meio Ambiente

Faltam assessores na área ambiental do governo Bolsonaro

 

 

Leia também

Colunas
16 de julho de 2019

Faltam assessores na área ambiental do governo Bolsonaro

Nosso presidente e seu ministro do Meio Ambiente cometem erros crassos ao imputar à área ambiental o fato de ser um empecilho para o desenvolvimento do país, em especial para  o setor de agronegócios

Salada Verde
11 de janeiro de 2016

Dança das cadeiras: Sérgio Brant volta para o Ministério do Meio Ambiente

Lilian Mitiko Hangae assume a Diretoria de Criação e Manejo de Unidades de Conservação do Instituto Chico Mendes (ICMBio).

Salada Verde
6 de maio de 2014

Sérgio Brant anuncia o seu time no ICMBio

Após assumir a Diretoria de Criação e Manejo de UCs, Brant confirma equipe, que trabalhará em período sob ameaça de mudanças na Lei do SNUC.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 29

  1. Silvana diz:

    Sergio Brandt foi o amigo mais chato que tive no campo da conservação. Ele é sizudo, fala sem papas na lingua, tem opiniōes contrarias ao status quo e nem liga para os que os outros pensam. Nos idos de 1984 ele era contra turismo ecologico, depois mudou de ideia e trabalhamos juntos no primeiro projeto de ecoturismo em parques no Brasil. Tivemos grande convivio, inclusive se hospedou na minha casa quando foi a Washington. De vez em quando ele até ria, com seu humor de navalha, quinem o do Truda, outro querido amigo. Sergio ficou de me visitar aqui no Cantao mas até hoje não veio. Espero que agora aposentado tenha tempo e me dê a alegria de recebe-lo.


  2. MIguel Milano diz:

    Bela homenagem Maria Tereza, e ninguém melhor que você para prestá-la em nomes de muitos de nós. Afinal você o selecionou estagiário, e daí, por competência e merecimento ele seguiu, independente, se tornando uma referência, inclusive de ranzinzice (rsrsrs) … esse é o "pacote" Sérgio Brant, bem apresentado por Reuber. Sérgio está longe de ser unanimidade no campo conservacionista, por muitas das suas posições. Mas é inegável, sua competência, honestidade, caráter e dedicação. É dos raros profissionais no conservacionismo que não se deixou levar por modismos ou oportunismos tentadores (além de passageiros), nem tampouco por vaidade! Me junto aqui a todos que o aplaudem pelas suas importantes qualidades e excelentes feitos, fazendo nulas neste momento nossas divergências pessoais de opinião, que não são desprezíveis mas que se tornam irrelevantes no conjunto, por tudo já descrito aqui por outros e reafirmadas por mim quanto as qualidades e valores de Sérgio, além da sinceridade de nossa amizade.


  3. José diz:

    Infelizmente é por esse tipo de gente ter ficado a tantos anos a frente da gestão ambiental é que o Bolsonaro se fortalece. Esse nobre senhor se achava o rei do ICMBio e dava pitacos em tudo, interferindo em áreas que não eram de sua alçada, atitude típica de pessoas prepotentes e soberbas. Ademais inviabilizava a vida profissional de qualquer analista novo que ousasse se opor a sua suprema sabedoria ou o enfrentasse tecnicamente. Pode ser colocado ao lado de pessoas, como Silvana Canuto, as quais acreditavam que nunca perderiam o poder e se baseavam na máxima: Aos amigos, favores, aos inimigos a Lei. Infelizmente a situação piorou, contudo nunca foram boas como tenta-se pintar. É só perguntar para qualquer analista novo do ICMbio (que hoje já são velhos) como era a realidade para quem não fazia parte da turma dos queridinhos da diretoria.


  4. Clovis Borges diz:

    Caro Sérgio! Também recebi, dias atrás, a sua curta mensagem que dava conta de sua aposentadoria. A merecida homenagem feita pela Maria Tereza pela sua longa e vitoriosa carreira no setor público é mais do que oportuna. Não apenas para lhe garantir um mínimo reconhecimento pelas conquistas, sempre enfrentando enormes dificuldades para avançar com a agenda de conservação, ao longo das últimas décadas, aqui no Brasil. Mas também para pontuar que sem pessoas que se dedicam de maneira incansável, dentro ou fora do governo, pela proteção de nosso patrimônio natural, não teríamos avançado tanto. Seu legado não se limita a apoiar a criação de cerca de 60 UCs, feito extraordinário. Seu "perfil granítico" representou, muitas vezes situações de incompreensão em relação a seus posicionamentos e pontos de vista. Foi esse perfil que garantiu suficiente resistência às flexibilizações descabidas que aviltam a agenda conservacionista praticamente todos os dias. Seguimos na luta!


  5. Josélia Ianke diz:

    Não conheço esse brasileiro varonil, mas me deleitei lendo os comentários, sei que por esse Brasil afora existem muitos Sergios, Paulos, Antonios e João, homens de valor. Esse Brasil ninguém mostra. Que pena. Felicidades ao Sr. Sérgio Brandt.


  6. Fabio diz:

    Bela homenagem a um amigo que deixa um legado. Sergio fará falta no MMA


  7. Reuber diz:

    Nem sei o que dizer sobre o Sérgio Brant. Tenho profunda admiração pelo "pacote" Sérgio Brant. Incansável, batalhador, inteligente, dedicado e extremamente íntegro. Sérgio foi meu grande professor de serviço público e foi responsável por grande parte do meu crescimento profissional. Tenho orgulho em poder chamá-lo de amigo e tenho certeza de que haverá muitas oportunidades para ele aproveitar de forma gratificante essa nova etapa de vida. Lembro quando descrevi uma nova espécie de sapo, Proceratophrys branti, em sua homenagem e ele retruca "Pô Reubelino, que sapo feio" KKKKKK
    Mais Sérgio Brant, impossível!


    1. jtruda diz:

      Hahahahahah Reuber, essa é bem ele mesmo!!!


      1. Reuber diz:

        Truda, na realidade, quando fui mostrar o sapo para ele, já estava esperando essa resposta! kkkkkkk Mas sei que ele gostou muito da homenagem!


  8. Malu diz:

    Excelente e merecido registro Maria Tereza! Sérgio é exemplo de dedicação e obstinação à causa das unidades de conservação! Cada vez que alguém como ele, desta geração que ama, estuda e conhece ampla e profundamente a questão ambiental se aposenta, o país perde em estratégia e visão de futuro.


  9. Vitória Régia diz:

    Parabéns Sérgio!! Precisamos de mais pessoas como você, nesse país!! Bacana e digno sua homenagem, Thereza! Parabéns.


  10. Leo Mohr diz:

    Merecidíssima homenagem a um cara que já deixou sua marca na conservação ambiental brasileira entre os grandes. Baita capacidade técnica e entendimento de todos os aspectos que envolvem a conservação como poucos. Concordemos ou discordemos em pontos específicos, é preciso muito argumento sólido pra vencer uma argumentação com ele. Aproveite sua merecida aposentadoria (infelizmente muito cedo) e, tenho certeza, tu ainda voltas para continuar a batalha.


  11. Ricardo diz:

    Sérgio Brant e Maria Tereza, obrigado por tudo que vocês fizeram e criaram.
    Espero que consigamos manter todo este Patrimônio, apesar da tempestade…
    Sérgio, que grandes momentos te aguardem.
    Maria, obrigado pelo registro sobre meu Ídolo.
    Do Norte do Amapá, um Grande Abraço.


  12. Edmar Moretti diz:

    Trabalhei com o Sergio na antiga Direc, no Ibama. Aprendi muito com ele. Sempre enfrentou as dificuldades sem perder o bom humor. Era crítico ferrenho da mediocridade. Admirável.


  13. Angela diz:

    Maria Tereza, agradeço você por registrar esse merecido resgate da atuação do Sérgio na conservação da natureza, especialmente pela luta incansável para ampliação e proteção das áreas protegidas do Brasil. Espero sinceramente que você, Sérgio, continue sempre dando sua excepcional contribuição para a proteção da biodiversidade – mas agora de maneira que sua vida seja mais tranquila! Grata por seu trabalho e dedicação! Parabéns! Carpe Diem!


  14. F.Raeder diz:

    Merecida lembrança! Sérgio foi muitas vezes tido como "de personalidade difícil”, mas como incompetente…ou pilantra…nunca! Certeza continuará contribuindo com a conservação de alguma outra forma, agora livre das amarras e futricas institucionais. Boa sorte nessa nova fase!


  15. Fernando Fernandez diz:

    Há pessoas que podem se orgulhar de terem feito, com as suas vidas, o mundo um pouco melhor. O Sergio Brant, com seu jeito discreto e avesso a badalações, é uma pessoa assim. Se não fosse pela luta de vida inteira dele e de um punhado de outras pessoas, como Maria Tereza, Ibsen Câmara, Marc Dourojeanni e Miguel Milano entre outros, nós hoje não teríamos muitas das riquíssimas áreas naturais que hoje temos, não teríamos muito da biodiversidade da qual hoje nos orgulhamos. Obrigado, Sergio, por ajudar a nos permitir ter hoje todas essas coisas.


  16. Sineia diz:

    Estou sentindo como devem estar sentindo os tucanos, as araras, os tamanduás bandeira… todos e tudo daqui da Serra da Bodoquena, lugar onde o Sérgio Brant contribuiu muitíssimo para a sua proteção com a criação do Parque Nacional da Serra da Bodoquena. Obrigada, Sérgio. Venha nos visitar de novo, agora com mais tempo livre.


  17. Chico Livino diz:

    Sempre uma referência em minha trajetória. O amigo mais chato que já tive, por isso mesmo, indispensável!!!
    Grande Sérgio! O maior com quem tive o prazer de compartilhar a luta!!!


  18. Maria Amalia diz:

    Belo e merecido texto !
    Não sou da área, mas fiquei muito emocionada com essa homenagem. Desejo ao Sergio, uma longa vida para aproveitar, merecidamente , sua nova fase de aposentado.


  19. Julieta diz:

    O importante é que ele é muito bom em seu trabalho e possui uma grande Amiga de Fé qu é você Parabéns. Você e parabéns ao Sérgio Brant


  20. Sonia Wiedmann diz:

    Grande Sérgio!! Lindo e verdadeiro texto, Maria Teresa!!! Nada foi em vão!


  21. Isaac diz:

    Já trabalhei com ele e já tivemos muitas divergências, mas aprendi MUITO com ele e é alguém que admiro muito! Parabéns pelo artigo, Maria Tereza.


  22. Maria Tereza diz:

    Oi Truda
    Seu apreço é fundamental caro amigo


  23. jtruda diz:

    Bela homenagem e muito merecida. Concordando ou divergindo pontualmente, um órgão público que despreza e negligencia o potencial de um servidor desta estatura e conhecimento mostra bem a quantas anda a gestão.


    1. Marcelo Lopes diz:

      O Truda tomou um pé na bunda do Bolsonaro e do Condenado, governo de extrema direita que ajudou a eleger, e agora fica de mimimi quanto ao desgoverno bostonaro… Embala que o bebê de Rosemery é seu…


      1. jtruda diz:

        Felizmente o pé na bunda foi cedo, antes de ter de ver essa bandalheira que está acontecendo. Mas ao contrário dos bunda-moles da esquerdalha, eu não tenho canalha de estimação, e assim como meti a boca no lullismo dilmento, meto a boca nesse desgoverno e no que achar que devo, sem ter medinho da patrulhinha ideológica dos bostas que ficam zumbizando nos comentários d'O Eco sem contribuir xongas pra conservação.


        1. Marcelo Lopes diz:

          Porra!!! O pé na bunda tá doendo até agora… O desgoverno de extrema direita era ambientalmente natimorto, mas o bebê de rosemary teve notáveis chocadeiras preservacionistas…


          1. jtruda diz:

            Eu acho que esse tipo de coisa deve doer mais nos zés-ninguém que não fizeram nada pela conservação e tem de ficar buzinando na internet pra fingir que sabem algo ou ao menos se importam…