Junior Garcia
Coordenador do Grupo de Estudos em MacroEconomia Ecológica da Universidade Federal do Paraná, diretor executivo da Sociedade Brasileira de Economia Ecológica e parceiro do Observatório de Justiça e Conservação (OJC)

Reflexões fundamentais para este Dia da Terra

Junior Garcia
segunda-feira, 20 abril 2020 15:28
Imagem: Pixabay.

O Dia da Terra  é celebrado todo dia 22 abril desde 1970. A data marca o início do movimento ambiental no mundo. Em 2020, comemora-se em mais de 190 países o 50º Dia da Terra. A cada ano adota-se um tema para orientar as ações realizadas no Dia da Terra. Este ano o tema é Ação Climática. Isso porque as mudanças climáticas têm colocado enormes desafios para a sociedade, ameaçando a relativa estabilidade de nosso sistema social e econômico.

Ao longo deste período (1970-2020) a sociedade vivenciou profundas mudanças ecológicas, sociais, políticas e econômicas. Apesar do avanço nas discussões e nos instrumentos de gestão ambiental, com destaque para a institucionalização do Paradigma do Desenvolvimento Sustentável em 1992, ainda permanece a tendência de degradação da qualidade ambiental. Os dados a seguir ilustram esta situação.

Em 1970, a população mundial era de 3,7 bilhões de pessoas; 63% da população estava na área rural; Produto Interno Bruto (PIB) US$ 19 trilhões em valores constantes de 2010; PIB per capita US$ 5,2 mil (World Bank Data, 2020); área agrícola 1,1 bilhão de hectares (FAOSTAT, 2020); a sociedade usava o equivalente a 1 Planeta Terra em termos da Pegada Ecológica (Global Footprint Network, 2020).

Em 2018, a população mundial era de 7,6 bilhões de pessoas; 44,7% da população estava na área rural; Produto Interno Bruto (PIB) US$ 82,7 trilhões em valores constantes de 2010; PIB per capita US$ 10,9 mil (World Bank Data, 2020); área agrícola 1,3 bilhão de hectares (FAOSTAT, 2020); mais de 30% das florestas tropicais foram degradadas; a sociedade usa mais de 40% da área agricultável (The Great Acceleration, 2020); a sociedade usava o equivalente a 1,7 Planeta Terra em termos da Pegada Ecológica (2016) (Global Footprint Network, 2020).

“Os ecossistemas não precisam das pessoas e muito menos da Economia. Na verdade, sem os ecossistemas não existe Economia.”

Apesar de todo o avanço tecnológico, econômico e social, dados do Banco Mundial (World Bank) mostram que 811,7 milhões de pessoas estavam em situação desnutrição no mundo em 2017, enquanto 39% dos adultos sofrem de sobrepeso. Sem contar que as emissões totais de CO2 equivalente saltaram de 27,6 bilhões de toneladas em 1970 para 53,5 bilhões em 2012 (World Bank Data, 2020). Nem mesmo as emissões de CO2 per capita apresentaram redução, saltaram de 4 toneladas para 5 toneladas entre 1970 e 2018 (World Bank Data, 2020). Por fim, os dados do IPCC (International Panel on Climate Change) indicam que persiste a tendência de aumento da temperatura média global.

Observa-se que o crescimento econômico (do PIB), portanto, foi acompanhado por um intenso processo de degradação ambiental e de uso dos recursos naturais.

A sociedade se depara com um conjunto de desafios ambientais e sociais em escala planetária, que engloba desde a perda de biodiversidade, degradação do solo, da água e do ar, mudanças climáticas, ocorrência de eventos climáticos extremos e à poluição plástica, até a pobreza e a desigualdade, além da recente pandemia de COVID-19 que assola vários países. O enfrentamento destes desafios exige o engajamento de todas as pessoas, para muito além do papel exclusivo e fundamental do Estado (e do governo).

E de maneira irônica, enquanto estamos em situação de isolamento social ou de quarentena em vários países neste Dia da Terra, as demais espécies vivas, que compartilham o meio ambiente conosco, estão aproveitando uma pequena melhora na qualidade ambiental, um mundo sem humanos. A redução da circulação de pessoas, da produção de bens e serviços e de outras atividades tem proporcionado uma redução na geração de poluição e no ritmo de uso dos recursos naturais. Estima-se que o consumo de petróleo tenha sofrido uma redução de 30% (International Energy Agency, 2020).

Esta situação única na história recente deveria incentivar uma profunda reflexão sobre a dependência de nosso sistema social e econômico do meio ambiente. Os ecossistemas não precisam das pessoas e muito menos da Economia. Na verdade, sem os ecossistemas não existe Economia. Enfim, parece que este dia 22 de abril de 2020 é, realmente, o Dia da Terra!

Participe das atividades online para celebrar o Dia da Terra.

Clique aqui para mais informações.

 

As opiniões e informações publicadas na área de colunas de ((o))eco são de responsabilidade de seus autores, e não do site. O espaço dos colunistas de ((o))eco busca garantir um debate diverso sobre conservação ambiental.
Leia Também 

Pandemias, invasões biológicas e o mundo que queremos

No Dia da Terra, os verdes vistos do espaço

Sobre epidemias e sustentabilidade

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.