Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Vídeo distorcido de contexto circula nas redes e é usado para incriminar brigadistas do ICMBio

Salada Verde
terça-feira, 15 setembro 2020 20:26
Brigadistas do ICMBio em uma ação de queima controlada. Foto: Duda Menegassi

Nesta terça-feira (15), circulou pelas redes, principalmente em grupos de Whatsapp, um vídeo que distorce uma ação de queima controlada como um ato criminoso provocado pelos próprios brigadistas. O vídeo, que tem 1 minuto e meio de duração, traz imagens reais de uma equipe do ICMBio no entorno da Estação Ecológica de Taiamã, em Mato Grosso, porém com uma locução que dá a entender que os profissionais estão dando início a um incêndio florestal. Não está comprovado se a narração foi feita de brincadeira pelo brigadista que filmou a ação ou foi inserida depois para incriminá-los. O que é fato é que os brigadistas realizavam a queima prescrita, que tem como objetivo criar aceiros exatamente para evitar que o fogo se alastre com rapidez ou atinja áreas mais sensíveis às chamas – e não davam início a um incêndio.

Em nota, o próprio ICMBio esclarece que: “no vídeo, brigadistas do ICMBio realizam atividade de queima controlada. A prática serve para eliminar a matéria orgânica seca, de maneira programada e monitorada, e assim reduzir o combustível das queimadas”.

Segundo informações apuradas por ((o))eco, a atividade foi realizada na segunda-feira (14) de tarde em uma área mais úmida e direcionada a barrar uma frente de incêndio que avançava com mais força e oferecia riscos inclusive para Estação Ecológica Taiamã. (Duda Menegassi)

Leia também

ICMBio: Servidor atingido por fogo não resistiu aos ferimentos

Vídeo: O que é manejo integrado de fogo? por Christian Berlinck

 

7 comentários em “Vídeo distorcido de contexto circula nas redes e é usado para incriminar brigadistas do ICMBio”

  1. Eu trabalhei numa regiao cercada por 90000 de vegetacao de restinga , a qual na maior parte do ano fica seca e sob forte risco de propagacao de incendio.
    Durante tres anos, de 2015 a 2018, fui responsavel pela gestao e fiscalizacao das atividades de aceiro em torno to porto. Nunca ascendemos um palito de fosforo para tal atividade, sendo a mesma efetiva pelo uso de tratores com arado. Nao vou questionar se o ato foi de sabotagem ou tde suposta tecnica de incendio controlado, o que ao meu ver nao faz sentido algum ter controle sobre incendio numa area totalmente cercada por vegetacao. No meu entendimento , tal pratica nao e segura em em hipotese alguma, principalmente em regioes de mata rasteira,
    Dica: aceiro se faz com equipamentos agricolas e fora de estrada, tratores, retroescavadeiras, JAMAIS com "incendio controlado" e rocadeiras. o custo e baixo comparado ao risco de tamanho impacto ambiental como o exemplo atual que existe no Pantanal.

    Responder
  2. De qualquer forma, sendo uma atividade de combate a incêndio, os brigadistas não deveriam filmar fazendo brincadeiras com isto, mas sim ao contrário, informando corretamente o que estão fazendo.
    Esta filmagem mostra uma postura imatura e inconsequente dos participantes da brigada.
    Provocar informação falsa não é brincadeira mas sim irresponsabilidade.

    Responder
  3. O ser humano por mais que tenha o mais auto- controle, um dia pode perder esse controle. A tática de combater a propagação das queimadas com fogo controlado, uma hora pode fugir do controle.

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.