Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Projeto de Lei quer acabar com a Reserva Legal

Daniele Bragança
terça-feira, 2 abril 2019 17:03
O senador Marcio Bittar (MDB-AC) aresenta suas propostas no plenário o Senado. Entre elas, acabar com a reserva legal. Foto: Roque de Sá/Agência Senado.

Com a justificativa que o cumprimento do código florestal, lei que foi modificada pelo Congresso Nacional em 2012, é um impeditivo para a expansão do agronegócio, o senador Marcio Bittar (MDB/AC) propôs acabar com um dos pilares que sustenta a lei: a reserva legal.

O projeto de lei n° 1551, de 2019, apresentado no dia 19 de março, prevê a eliminação do dispositivo que está na legislação brasileira desde a primeira reforma do código florestal, realizada em 1965. O mecanismo obriga os proprietários rurais a manter a vegetação nativa de parte da propriedade. Em tese, o percentual varia de 20% de área que precisa ser mantida preservada em propriedades localizadas na Mata Atlântica, Pampa e Pantanal e chega a 80% em propriedades localizadas na Amazônia. O “em tese” se justifica pois há exceções na lei, dependendo do tamanho da propriedade.

“(…) outro projeto que eu apresento é para tentar devolver o direito à propriedade privada, que hoje está sem fala no Brasil, porque mesmo esses índices aos quais o Senador Kajuru se referiu, mesmo os índices da Amazônia, que são 20% apenas de tocabilidade, mesmo assim, para você exercer qualquer atividade na sua propriedade, nesses 20%, no caso da Amazônia, mesmo assim você tem que pedir licença ao órgão ambiental, que vai determinar se você pode ou não. É a mesma coisa na área indígena”, discursou o senador ao apresentar a proposta.

No mesmo dia, o senador apresentou proposta para que, após decorrer o prazo para o órgão ambiental dar a licença, a “emissão tácita e autoriza a prática de ato que dela dependa ou decorra”.

UC? só com concordância do legislativo

Outro projeto de lei apresentado torna obrigatório a anuência do poder legislativo municipal, estadual ou federal para o ato de criar ou expandir uma unidade de conservação. Hoje, o poder executivo tem a atribuição de criar ou aumentar uma área protegida por meio de decreto.

“E é por isso, Sr. Presidente, que o terceiro projeto que eu apresento é que nós não podemos continuar separando áreas do território nacional sem que os Estados e os Municípios afetados se posicionem. Então o terceiro projeto que eu apresento visa determinar que o Governo Federal, ao querer criar uma unidade de conservação, precisa ter a aprovação das Assembleias Legislativas dos Estados afetados. Quando os Estados quiserem criar qualquer tipo de unidade de preservação, precisam consultar as Câmaras Municipais dos Municípios envolvidos, porque o que acontece é que você retira áreas fundamentais dos Municípios e dos Estados para a produção econômica, e as Assembleias, as Câmaras Municipais sequer são consultadas sobre isso”, disse.

*Editado às 01h48, do dia 03/04/2019. Ao contrário do que afirmamos anteriormente, a reserva legal está na legislação brasileira desde 1965 e não na década de 1930, quando foi criado o primeiro código.

Leia Também 

APP e Reserva legal não são a mesma coisa

O que é Reserva Legal

O Comunismo e as APPs

 

 

3 comentários em “Projeto de Lei quer acabar com a Reserva Legal”

  1. As UCs sólidas são as criadas por lei. As criadas por decreto podem ser – e são – desafetadas.

    Alias, decreto é coisa de republiqueta de araque. Os estados modernos se regem por leis, escritas pelos representantes do povo.

    Responder
  2. No meu modo de ver, só poderiam fazer propostas relacionadas ao meio ambiente , políticos que tenham conhecimento na área ambiental, tal como os analistas ambientais ! Se não entendem do assunto, é melhor mudar a área que ele quer dar palpite, ou vão ficar destruindo as matas que nos sobraram …

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.