Por conluio com madeireiras, três servidores do Ibama são presos
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Por conluio com madeireiras, três servidores do Ibama são presos

Daniele Bragança
terça-feira, 31 outubro 2017 17:11
Foto: Sam Beebe/Flickr.
Foto: Sam Beebe/Flickr.

Três servidores do Ibama foram presos nesta terça-feira (31), no Pará, acusados de receberem propinas de madeireiros que deveriam fiscalizar.  A operação, batizada de Concisor, que significa cortar o mal, contou com o apoio do próprio Ibama.

Segundo a Polícia Federal, os servidores acusados repassavam informações privilegiadas de operações de fiscalização em troca de propina. A operação ocorreu nas cidades de Marabá, Parauapebas, Breu Branco, Canaã dos Carajás e Eldorado dos Carajás.

Foram 15 mandados judiciais cumpridos, sendo quatro mandados de prisão, cinco mandados de busca e apreensão e seis de conduções coercitivas, bem como ordens judiciais de afastamento de servidores da função pública. Participaram da ação cerca de 60 policiais federais.

Os investigados vão responder por corrupção passiva, ativa e concussão. Se condenados, podem pegar penas de prisão de até oito anos de reclusão, além de multa.  Em nota, o Ibama informou que todos os servidores acusados “serão submetidos a Processo Administrativo Disciplinar (PAD) na Corregedoria do Instituto”.

Segundo o jornalista Matheus Leitão, que tem um blog no G1, a PF gravou uma conversa por telefone entre um servidor do Ibama e um madeireiro, que o avisa do começo de uma operação “vinda de fora”. No áudio, o servidor pede 200 reais ao madeireiro.

 

Leia Também 

Rios Voadores: ex-servidor do Ibama é impedido de exercer cargo de chefia

PF deflagra esquema bilionário de desmatamento no Pará

Rios Voadores: ex-servidor do Ibama é impedido de exercer cargo de chefia

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.