Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Em vídeo, MPF se posiciona contra a aprovação da MP da grilagem

Daniele Bragança
segunda-feira, 11 maio 2020 16:18
Desmatamento seguido de fogo para limpar o campo e ocupar área com pasto faz parte do processo de ocupação ilegal de terras públicas na Amazônia. Foto: Foto: Vinícius Mendonça/Ibama.

Procuradores da República gravaram um vídeo contra a aprovação da Medida Provisória 910, conhecida como MP da grilagem. A proposta perderá a validade se não for aprovada até o dia 19 de maio. Ruralistas estão pressionando o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), para colocar a MP em votação.

A MP 910 regulariza terras ocupadas de até 2500 hectares em todos os biomas do país. Para o Ministério Público Federal, a norma beneficia organizações criminosas responsáveis por desmatamento ilegal, conflitos armados no campo e lavagem de dinheiro.

Os procuradores resumem em quase 8 minutos de vídeo o conteúdo de três notas técnicas emitidas pela Procuradoria-Geral da República e já enviadas ao Congresso Nacional. Entre as falas, o filme intercala imagens do documentário Sob a Pata do Boi, produzido por ((o))eco em parceria com o Imazon. O documentário investiga o impacto ambiental da pecuária na Amazônia.

Assista o vídeo

Regularizar o crime

Em 10 anos, o Brasil teve três medidas provisórias para regularizar ocupações irregulares de terras da União (2009, 2017 e 2019). Para a procuradora Carolina Haliuc de Bragança, coordenadora da Força-Tarefa Amazônia do MPF, o excesso de regularização é um recado que o poder público dá de que não cumpri a lei vale a pena: “quando num espaço curto de tempo, você tem uma sucessão de leis passando uma mensagem de que, se você invadir, se você desmatar, você não vai ser penalizado por isso, o recado que você passa é: continuem incidindo nos ilícitos, continuem praticando crimes, continuem invadindo e desmatando.”

Daniel Azeredo Avelino, secretário-executivo da 4ª Câmara de Coordenação e Revisão do MPF, responsável pela área ambiental, afirma que a MP 910 “pretende regularizar ações ilegais que nós temos hoje em todo o país”. “Em especial ela permite que criminosos, aquelas pessoas que desmataram a Amazônia e cometeram os mais variados crimes, fiquem com as suas áreas. E o pior, eles podem fazer isso pagando um preço bem menor do que aquele que é praticado pelo mercado”, explica no vídeo.

Para Julio Araujo, coordenador do Grupo de Trabalho sobre Reforma Agrária do MPF, é preciso lembrar que os milhões de hectares de terras públicas que a MP 910 pode repassar para as mãos de particulares compõem o patrimônio público, patrimônio do povo brasileiro. “Ao deixar de atuar e renunciar a essas receitas, o Estado se omite gravemente e não aponta qualquer sinalização para a proteção de bens jurídicos importantes, como o meio ambiente, as populações tradicionais e os próprios recursos que são de todos”, diz.

Co-produção do site ((o))eco e do Imazon (Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia), o filme Sob a Pata do Boi é resultado de dois anos de filmagens e reportagens investigativas feitas pela equipe de jornalismo de ((o))eco sobre o processo que transforma a Amazônia em pasto. Até o dia 31 de maio, o filme estará disponível gratuitamente na plataforma Videocamp. Assista em casa.

 

Leia Também 

MP da Grilagem causa rombo de até R$ 88 bi, diz Imazon

MP da regularização fundiária anistia grilagem de terras públicas até 2018

Frente Parlamentar Ambientalista e sociedade civil se posicionam contra MP da Grilagem

 

5 comentários em “Em vídeo, MPF se posiciona contra a aprovação da MP da grilagem”

  1. Só de ter a Deborah Duprat falando no final já desqualifica o vídeo. Cidadã totalmente destemperada. Usa o MPF pra empurrar as vontades dela, como se fosse dona do lugar. Ainda bem que está de saída da função de coordenadora no MPF.

    Responder
  2. Reportagem escrita as pressas pelo jeito. Com erros de ortografia, faltando acento, maiúsculas e pra fechar com chave de ouro fala que o Rodrigo Maia é do MDB.

    Responder
  3. A Sacanagem anda frouxo. Grilagem é roubar A TERRA pública.
    Omissão de não cuidar do patrimônio público, rasgam e jogam a Constituição Federal na lixeira.

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.