Download PDF

Para muitos ambientalistas, João Doria segue em frente com a sua agenda antiambiental. Foto: Governo do Estado de São Paulo/Flickr.

O governador de São Paulo, João Doria, imitou o governo federal e retirou da área ambiental a atribuição de cuidar do cadastro ambiental rural e transformou em função da pasta que cuida da Agricultura. A mudança foi publicada nesta terça-feira (12) no Diário Oficial do Estado.

O Decreto nº 64.131/2019 transfere parte das atribuições que ficavam na Secretaria de Meio Ambiente – atual Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente – para a Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA), que agora ficará responsável pelo Sistema de Cadastro Rural Ambiental do Estado de São Paulo – SICAR-SP.

De acordo Maurício Tuffani, do Direto da Ciência, o realocamento é motivado para colocar na Agricultura a implementação do CAR. De caráter declaratório, o cadastro ambiental rural identifica as áreas de reserva legal e as áreas de preservação permanente das propriedades rurais do país. Com o cadastro, os órgãos ambientais saberão quem tem passivo ambiental e quem está seguindo o que determina a lei.

Esvaziamento

O governo de São Paulo já havia modificado a estrutura da pasta ambiental no começo do ano, ao unificar três secretarias em apenas uma. A atual Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (Sima) nasceu da fusão das Secretarias do Meio Ambiente; de Saneamento e Recursos Hídricos; e de Energia e Mineração.

Segundo o Direto da Ciência, a criação desta supersecretaria é preocupante, uma vez que a Sima possui como atribuições a aprovação e o controle da aplicação dos recursos de compensação ambiental, advindos de empresas envolvidas com obras de grande impacto ambiental. Agora, numa mesma secretaria e sob os cuidados de um mesmo secretário, ficam os órgãos responsáveis por realizar obras de saneamento, usinas de energia elétrica, construção de barragens e institutos responsáveis por fiscalização, controle e licenciamento.

 

Leia Também

João Doria não destinará dinheiro para a criação do Parque Augusta

Doria define os parques de São Paulo que irão para a iniciativa privada

Serviço Florestal Brasileiro passa a integrar o Ministério da Agricultura