AGU cria força tarefa para atuar contra grandes desmatadores 
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

AGU cria força tarefa para atuar contra grandes desmatadores 

Daniele Bragança 
terça-feira, 24 setembro 2019 20:20
O advogado-geral da União, André Mendonça, oficializa a criação da força tarefa. Foto: Renato Menezes/AscomAGU.

Durante seis meses, uma força tarefa da Advocacia-Geral da União (AGU) atuará em ações judiciais contra desmatadores e outros infratores ambientais na Amazônia. A portaria que oficializa o grupo foi assinada na tarde desta terça-feira (24) pelo advogado-geral da União, André Mendonça.

“Nós estamos tirando essas ações de uma tramitação comum, rotineira, e estamos trazendo para esse grupo concentrado, que é um grupo de elite que trata de grandes devedores”, afirmou.

A equipe será formada por 20 integrantes, sendo 15 membros da Procuradoria-Geral Federal (órgão da AGU que representa judicialmente autarquias como Ibama e ICMBio) e cinco da Procuradoria-Geral da União.

A força tarefa poderá ser prorrogada por mais seis meses.

Há 12 ações em curso onde estão sendo cobrados um total de R$ 206 milhões de grandes desmatadores. “O grupo vai contar com apoio do Laboratório de Informações Estratégicas da AGU no sentido de melhor localizar todo o patrimônio dessas pessoas e garantir maior efetividade na penhora e indisponibilidade dos bens”, explicou o advogado-geral da União.

Caberá à força tarefa responder citações, intimações e notificações no âmbito das ações judiciais envolvendo fiscalizações do Ibama e do ICMBio; ajuizar e acompanhar processos movidos para que infratores reparem danos causados ao meio ambiente e paguem indenização; elaborar relatórios estatísticos e planilhas de controle sobre as ações e as decisões judiciais.

O grupo será coordenado pela atual direção da Equipe de Meio Ambiente da Procuradoria-Regional Federal na 1ª Região, unidade da AGU que tem competência para atuar nos estados que abrigam a Amazônia Legal.

 

Leia Também 

Segunda Fase do Amazonas Protege vai cobrar R$ 2,6 bi em indenizações

⅓ das áreas queimadas este ano foi derrubado ilegalmente no passado, diz MPF

O fim da narrativa do herói desmatador

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.