Análises

Bikes: não apenas para inglês ver

Oxford é considerada uma das capitais do saber na Inglaterra.  Talvez, por isso mesmo, a bicicleta seja tão usada.

Pedro da Cunha e Menezes ·
10 de setembro de 2010 · 11 anos atrás
Praticamente não há rua sem ciclovia em Oxford (fotos: Pedro Cunha e Menezes)
Praticamente não há rua sem ciclovia em Oxford (fotos: Pedro Cunha e Menezes)

Oxford e Cambridge são consideradas as capitais do saber e da ciência na Inglaterra. Ambas são sedes de univesidades milenárias, conceituadas pelos seu corpo docente e pelas pesquisas que produzem. Enacarm o conhecimento de forma holística, universalista. Por isso mesmo, os alunos de Oxford não são a encarnação do nerd magro, fracote de óculos e avesso ao contato social. De jeito nenhum! Nos centros de saber superior inglês a máxima ateniense de “corpo são em mente sã” sempre foi muito valorizada.

 
Não é por outra razão que ali nasceram esportes tais como futebol e o raguebi. Até hoje, Oxford e Cambridge competem anualmente em uma regata que já é centenária. Assim não é de se estranhar que, enquanto o Rio esteja com seu sistema de ciclovias paralisado e, sobretudo voltado para o lazer e que a luta por ciclovias em São Paulo seja inglória, os habitantes de Oxford utlizem a magrela para fazer absolutamente tudo.
 
Uma rápida visita a cidade impressiona até os mais empedernidos rodoviaristas. Não há rua sem ciclovia, nem espaço sem biccletas. Crianças pedalam para a escola, mães passeiam seus bebês a reboque das magrelas, profissionais vão para o escritório auto-propulsinando-se sobre duas rodas, velhinhas saem às compras de biccletas. Com efeito, o trânsito ciclístico é tão intenso que precisa ser regulado como se fosse de automóveis. Por isso mesmo, a cidade tem farta sinalização destinada aos ciclistas, tanto direcional como educativa, tanto de segurança horizontal quanto vertical. Não é de hoje, o Museu de Oxford mostra que o uso da bicicleta já é comum há mais de 60 anos.
 
Com tanto sucesso, o problema é estacionar. Chova (e como chove na Inglaterra) ou faça sol, em alguns locais mais cotados é difícil achar vaga. Dá gosto ver! Quem sabe um dia essa tendência de utilizar um transporte (transporte não é a mesma coisa que lazer) saudável, barato e não poluente chegue ao Brasil. Infelizmente, por enquanto, nossas políticas cicloviárias são para inglês ver.
O uso de bikes é tão intenso que estacionar está virando problema.
O uso de bikes é tão intenso que estacionar está virando problema.

Leia também

Notícias
22 de julho de 2021

Ibama fecha acordo com agência japonesa para monitoramento via satélite da Amazônia

Acordo de cooperação foi assinado nesta quinta-feira e terá duração de 5 anos. Expectativa do Ibama é aumentar precisão da detecção de desmatamento na Amazônia

Reportagens
22 de julho de 2021

Soluções baseadas na natureza são essenciais para combater mudanças climáticas e a perda de biodiversidade

Pesquisadores analisam estratégias de conservação de ecossistemas e recuperação de áreas degradadas na segunda edição da série Conferências FAPESP 60 anos

Análises
22 de julho de 2021

Um Dia No Parque 2021: a felicidade como um ato de resistência

A 4ª edição do Um Dia no Parque, realizada no último final de semana, envolveu mais de 350 UCs e teve como destaque lançamento de plataforma online para estimular visitação das áreas protegidas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta