Download PDF

A indicação de Bicalho seria do ministro Carlos Marun (acima), da Secretaria de Governo. Foto: Wikipédia.

Ainda é boato de corredor, mas tudo indica que a presidência do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) será ocupada por um político de partido ruralista. O vice-presidente do PROS Nacional, Moacir Bicalho, deverá assumir a vaga ocupada até o final de abril pelo oceanógrafo Ricardo Soavinski. Ainda segundo informações não confirmadas oficialmente, a indicação de Bicalho vem do ministro Carlos Marun, da Secretaria de Governo.

Moacir Bicalho é vice-presidente nacional do PROS e teve seu nome envolvido por um delator no escândalo da Odebrecht na Lava Jato, segundo a revista Veja.

Se a indicação for confirmada, será a primeira vez que o ICMBio será gerido por um político sem ligação com a área ambiental desde a criação da autarquia, em 2007. O ICMBio é responsável pela criação e gestão de Unidades de Conservação federais e da conservação de espécies ameaçadas.

 

Leia Também 

Ricardo Soavinski deixa presidência do ICMBio

Loteamento político na Reserva do Tinguá gera mal estar entre servidores

Sarney Filho cria cinco áreas protegidas no último dia como ministro