Download PDF
De acordo com o Ibama, o Zoo do Rio não cumpre não cumpre mais com seu papel de educação ambiental. Foto: Flavio Zagri/Flickr.

De acordo com o Ibama, o Zoo do Rio não cumpre mais com seu papel de educação ambiental. Foto: Flavio Zagri/Flickr.

Quem tirou a manhã para visitar o Zoológico do Rio encontrou o local fechado. A área de acesso foi embargada nesta quinta-feira (14) pelo Ibama do Rio por causa das condições precárias de infraestrutura. Superlotação em algumas instalações e necessidade de obras estruturais nos cativeiros são um dos problemas que levaram o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis a suspender a visitação e multar em mil reais por dia a Fundação Rio Zoo, que administra o local, até que o órgão realize a adequação ambiental do parque.

De acordo com o Ibama, os principais problemas foram identificados nos recintos denominados “Viveirão”, “Corredor de Fauna”, "Extra" e “Núcleos de Reprodução”.

Desde 2012, a Fundação, subordinada à Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Smac), tem sido notificada sobre a necessidade de adequar suas instalações. Em outubro de 2015, a secretaria já havia sido autuada em R$ 1 milhão por não cumprir uma notificação para iniciar as obras de reforma no Zoológico do Rio até agosto.

Segundo o Ibama, o Zoológico do Rio não tem mais condições de receber o público. "Na situação em que se encontra, o Zoológico do Rio não cumpre mais seu papel de educação ambiental e não promove o respeito aos animais. A visitação ao parque não é mais uma experiência positiva para as crianças e a população em geral", disse o chefe do Núcleo de Fiscalização do Ibama no Rio de Janeiro, Vinícius Modesto de Oliveira.

O embargo não é definitivo. Basta a Fundação Rio Zoo realizar as obras necessárias, mas a prefeitura do Rio não vai esperar. A secretaria Municipal do Meio Ambiente já entrou com recurso para suspender o embargo à visitação.

Em nota, a Prefeitura do Rio de Janeiro afirmou que na próxima semana será publicado o edital de licitação para concessão do parque ao setor privado e que por isso suspendeu a licitação das obras de readequação do Rio Zoo.

 

 

Leia Também

Jaula cheia, crime solto

Zoos x Santuários: uma disputa sem futuro e sem utilidade

Zoos: Capacitação e integração, primeiros passos de um longo caminho