Download PDF
Iniciativa Azul pretende atingir 10% da zona marinho-costeira até 2027/ Fernando de Noronha. Foto: Leandro Macedo Gonçalves/Flickr.

Iniciativa Azul pretende atingir 10% da zona marinho-costeira até 2027/ Fernando de Noronha. Foto: Leandro Macedo Gonçalves/Flickr.

No mesmo Congresso sobre Áreas Marinhas Protegidas, onde o Chile divulgou a criação de uma reserva marinha de 720 mil quilômetros quadrados ao redor da Ilha de Páscoa, o governo brasileiro anunciou na quinta-feira (7) que pretende reverter a pouca iniciativa para proteger as áreas marinhas brasileiras, através do Iniciativa Azul.  

Muito pouco ou quase nada tem sido feito pelas áreas marinhas no país. Hoje, apenas 2,8% das áreas marinhas brasileiras estão protegidas, incluindo os mangues e outros ecossistemas costeiros. O Programa buscará criar Áreas de Proteção Marinhas (APMs) e costeiras, implantá-las e mantê-las. O objetivo é atingir 10% da zona marinho-costeira até 2027, cumprindo compromissos internacionais na área de meio ambiente. Entretanto, resta pouco tempo para que o Brasil atinja a meta e corresponda de forma eficaz aos compromissos assumidos com esse intuito.

A Iniciativa Azul será coordenada pelo MMA, será gerida pelo Fundo Brasileiro para a Biodiversidade e financiada com recursos do Global Environment Facility (GEF), Banco Mundial, governo alemão via Banco de Desenvolvimento da Alemanha, Rede WWF e Fundo Amazônia. Os pontos do programa serão a pesca sustentável, as mudanças climáticas e suas consequências, as espécies invasoras e exóticas, a sedimentação excessiva das áreas costeiras e conservação da biodiversidade marinha. Também participam do projeto ONGs, cientistas e governos locais.  “Não será uma operação centrada nas mãos do governo. Nosso papel será o de direcionar a criação das áreas seguindo critérios de prioridade para a conservação das espécies, o potencial turístico e econômico, com foco na sustentabilidade”, esclarece Cláudio Maretti, diretor do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

*Com informações da Assessoria de Comunicação do ICMBio.

Leia também

Chile anuncia a criação de reserva marinha em Congresso

ICMBio oficializa abertura de Alcatrazes ao turismo

A maior reserva marinha do mundo é americana