Vídeos

Vídeo: É possível fazer educação ambiental de forma lúdica e interativa? por Maíra Borgonha

A oceanógrafa e coordenadora nacional do Projeto Meros do Brasil explica que o desafio que é trabalhar com educação ambiental de espécies que estão longe do dia a dia do cidadão

Daniele Bragança · Márcio Lázaro ·
14 de outubro de 2018 · 3 anos atrás
Estande do Projeto Meros do Brasil no AquaRio. Foto: Giane Gatti.

Trabalhar com educação ambiental de espécies que estão longe do convívio do cidadão é um desafio. Principalmente se o animal em questão é um imenso e discreto peixe, que gosta de viver tranquilo entre pedras, estuários ou manguezais. Criticamente ameaçado de extinção, o mero (Epinephelus itajara) é o primeiro peixe a ser protegido por norma que proíbe sua captura.

A moratória já dura 16 anos, tempo insuficiente para que o peixe recomponha sua população. O animal demora entre 4 a 7 anos para atingir a maturidade sexual e conseguir se reproduzir. A pesca e a diminuição de ambientes de manguezais, onde o mero passa a infância e parte da juventude, ameaçam a sobrevivência da espécie.

Tornar a espécie conhecida e fazer as pessoas se importarem com ela é um dos objetivos do Projeto Meros do Brasil, que é patrocinado pela Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental.

O projeto inaugurou em setembro um estande no Aquário. A exposição é permanente e permite, através de brincadeiras, sons e toque, a sensibilização do público em prol dessa espécie ameaçada. É o que explica coordenadora nacional e pesquisadora do Projeto Meros do Brasil, Maíra Borgonha.

A oceanógrafa, que é mestra em Desenvolvimento e Meio Ambiente e doutoranda em Biologia Marinha pela Universidade Federal Fluminense, falou a ((o))eco sobre como falar sobre conservação marinha de maneira atrativa.

Leia Também

Vídeo: Qual a importância da reprodução do mero em cativeiro? por Eduardo Sanches

Meros serão protegidos até 2023

‘Não fui eu’, diz Henri Castelli sobre mero abatido

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

  • Márcio Lázaro

    Jornalista, repórter cinematográfico, editor de vídeo e imagens, mestre em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento (UFRJ).

Leia também

Notícias
16 de agosto de 2017

‘Não fui eu’, diz Henri Castelli sobre mero abatido

Ator se desculpa após polêmica sobre foto com peixe mero morto, na garupa de uma moto. Disse que ficou impressionado com o tamanho do peixe levado por um pescador

Notícias
21 de outubro de 2015

Meros serão protegidos até 2023

Espécie criticamente ameaçada de extinção ganhou mais oito anos de moratória. Pesca e reprodução lenta dificulta reposição da espécie.

Vídeos
21 de maio de 2018

Vídeo: Qual a importância da reprodução do mero em cativeiro? por Eduardo Sanches

O pesquisador do Instituto da Pesca (SP) explica o delicado processo de reprodução do peixe em cativeiro e como a técnica pode ajudar na sobrevivência da espécie ameaçada

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta