Salada Verde

Tem onça-parda visitando reserva privada

Animais não ligam para categorias de unidades de conservação, se a área é pública ou privada. O que eles gostam é de áreas bem conservadas

Daniele Bragança ·
12 de novembro de 2015 · 6 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
onça1
Onças-pardas são visualizadas em reservas brasileiras. Crédito: Haroldo Palo Jr.

Animais não ligam para categorias de unidades de conservação e ignoram se são públicas ou privadas. Mas uma coisa é certa, se sentem bem-vindos em áreas bem conservadas. Essa semana, as reservas particulares do patrimônio natural (RPPNs) Serra do Tombador, em Goiás, e Salto Morato, na Mata Atlântica do litoral paranaense, foram visitadas por Puma concolor, a onça-parda.

A constatação da presença do animal foi gerada pelas chamadas armadilhas fotográficas que produziram vídeos dos dois eventos. “A presença dessa espécie, que é topo de cadeia, indica que os esforços estão sendo efetivos para a conservação da biodiversidade e que ela está equilibrada”, afirma Marion Letícia Bartolamei, coordenadora de Áreas Protegidas da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, instituição que administra as duas reservas e que é parceira de ((o))eco no projeto Wikiparques.

O monitoramento constante nestas reservas explora a fauna local, verifica o tamanho das populações, bem como procura entender suas dinâmicas e hábitos de vida. A onça-parda é o mamífero terrestre com maior distribuição nas Américas, mas sofre com declínio populacional. A espécie é considerada ameaçada de extinção no país e é classificada na categoria ‘vulnerável’. As principais ameaças à onça-parda – que também é chamada de puma ou suçuarana – são a perda e fragmentação do habitat, além da caça e atropelamento.

Veja os vídeos:

 

 

Leia Também
Vídeo captura onça-parda descansando em reserva no Paraná
Onça-pintada é flagrada predando cão doméstico
Onça parda no Parque da Serra dos Orgãos

 

 

 

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Salada Verde
14 de novembro de 2010

Onça parda no Parque da Serra dos Orgãos

Projeto de inventário de mamíferos em unidade de conservação no Rio de Janeiro pode indicar sucesso de corredor fluminense de Mata Atlântica.

Notícias
12 de julho de 2015

Onça-pintada é flagrada predando cão doméstico

Imagens de câmeras de segurança registraram o ataque, ocorrido no terreno de uma casa no Passo do Lontra, à beira da Estrada-parque Pantanal Sul.

Notícias
2 de junho de 2015

Vídeo captura onça-parda descansando em reserva no Paraná

Onça-parda é flagrada na reserva de Salto Morato, em Guaraqueçaba. Unidade de conservação é mantida pela Fundação Grupo Boticário.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 5

  1. Carlos L. Magalhães diz:

    Pelo seu conceito: "(Mas enfim: ameaçada de extinção" é um conceito que envolve desde espécies Extintas (e.g. Anodorhynchus glaucus) e Extintas na Natureza (e.g. Cyanopsitta spixii)", o Tyranossaurus rex está ameaçado de extinção…

    Então tá.


  2. Leo diz:

    No meu tempo somente se corrigia algo ao ter absoluta certeza do que se está falando. Mas enfim: "ameaçada de extinção" é um conceito que envolve desde espécies Extintas (e.g. Anodorhynchus glaucus) e Extintas na Natureza (e.g. Cyanopsitta spixii) até as Vulneráveis, portanto e obviamente, Vulnerável é sim ameaçada de extinção. E, sim, está incluída na Lista Vermelha nacional (Port. MMA 444/2014), categoria Vulnerável. Aliás, está incluída já na lista de 2003, diferindo unicamente porque nesta, não era indicada a categoria de ameaça.


  3. Carlos L. Magalhães diz:

    O leitor de O Eco merece um pouquinho mais de rigor científico.

    O texto diz que a suçuarana é espécie ameaçada de extinção no país e é considerada vulnerável. Ou bem é um; ou bem é outro.

    E no caso não é nenhum dos dois. No mundo é "least concern" (o status mais confortável), pela IUCN. E no Brasil, sómente as populações fora da região amazônica são consideradas "vulneráveis".


  4. Marc diz:

    Premio maior ao esforco e a perssistencia! Parabens ao Boticario!