Salada Verde

Ministro do Turismo alega que ‘apps’ de turismo são fiscais do meio ambiente

Em entrevista, o ministro repetiu a falácia de que o Brasil é o país mais preservado do mundo e disse que problema ambiental mais grave do país está nos centros urbanos

Duda Menegassi ·
11 de janeiro de 2021
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Em entrevista na noite de domingo (10), o ministro do Turismo, Gilson Machado, comentou sobre o meio ambiente e viralizou nas redes com uma fala que creditava aos aplicativos de turismo a função de fiscalizar a proteção da natureza. “Eu não tenho dúvida de que o país da gente é o mais preservado, sabe por que? Porque nós hoje temos um aliado chamado os motores de reserva: Booking, Expedia, Tripadvisor… Quem vai julgar se o meio ambiente está preservado é o próprio turista”, disse Gilson. Nas redes, usuários ridicularizaram a fala, que ignora o papel dos órgãos ambientais – os verdadeiros fiscais do meio ambiente. Na entrevista, realizada no programa Poder Em Foco, no SBT, o ministro alegou ainda que esse é “o governo que mais se preocupou com meio ambiente, até porque o maior problema ambiental que nós temos é o controle ambiental urbano”.

Em sua fala, Gilson dá a entender que os aplicativos que funcionam como plataformas colaborativas sobre atrativos turísticos que coletam avaliações e comentários dos usuários (como Booking, Expedia e Tripadvisor), seriam um mecanismo de fiscalização eficiente. “Porque se ele [o turista] for em São Miguel dos Milagres, por exemplo (…) chegar num recife de coral, mergulhar e não ver ouriço, não ver um peixe, ele bota lá ‘não volte, porque eu não tenho o meio ambiente preservado’. Então o próprio trade hoje fica de olho na fiscalização ambiental, ajuda a fiscalizar, ajuda a manter o ambiente equilibrado”, alegou o ministro, aparentemente alheio aos inúmeros casos de turismo predatório em ambientes naturais e ao fato de que a zona marinha de São Miguel dos Milagres fica dentro da Área de Proteção Ambiental (APA) da Costa dos Corais, ou seja, quem responde pela fiscalização por lá – e orienta a conduta dos visitantes – é o ICMBio. (Duda Menegassi)

 

Leia também

Turismo descontrolado ameaça ambiente de Fernando de Noronha

  • Duda Menegassi

    Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação e montanhismo. Escreve para ((o))eco desde 2012. Autora do livr...

Leia também

Reportagens
10 de março de 2019

Turismo descontrolado ameaça ambiente de Fernando de Noronha

Entre 1992 e 2018, o número de visitantes saltou de 10.094 para 103.722, o que coloca em risco a alta biodiversidade do arquipélago

Reportagens
16 de maio de 2021

Proposta muda desenho de UCs no rio Negro, com nova reserva e redelimitação

O projeto de lei enviado à Assembleia Legislativa cria uma Reserva do Desenvolvimento Sustentável no Baixo Rio Negro, no Amazonas, e redelimita parque estadual e APA

Reportagens
16 de maio de 2021

Projetos de estradas na Amazônia podem desmatar 2,4 milhões de hectares nos próximos 20 anos

12 mil km de estradas previstas em 75 projetos para os cinco países da Bacia Amazônica podem causar o desmatamento de 2,4 milhões de hectares. 17% dessas obras violam a legislação ambiental e o direito de povos indígenas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta