Salada Verde

Militar da Aeronáutica vai presidir o INPE interinamente 

Darcton Policarpo Damião ocupará a vaga de Ricardo Galvão no comando do Instituto responsável pelo monitoramento das mudanças no uso do solo no país

Daniele Bragança ·
5 de agosto de 2019 · 2 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Ministro Marcos Pontes anuncia novo diretor interino do INPE. Foto: Bela Rocha/Ascom MCTIC/Flickr.

O militar da Aeronáutica Darcton Policarpo Damião irá comandar interinamente o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). O nome foi confirmado pelo ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Marcos Pontes, na tarde desta segunda-feira (05). Ele vai substituir Ricardo Galvão, exonerado após rebater a acusação do Jair Bolsonaro de que os dados do INPE para o desmatamento na Amazônia são manipulados. 

Damião ficará à frente do INPE até uma comissão eleger uma lista tríplice. Dessa lista sairá o nome do novo diretor, que terá mandato de 4 anos.

Especialista em desmatamento

Damião possui mestrado em sensoriamento remoto pelo INPE e doutorado em desenvolvimento sustentável pela Universidade de Brasília. O desmatamento na Amazônia foi tema de sua tese de doutorado, defendida em 2007.

“Ele é uma pessoa de confiança, logicamente. E uma pessoa que tem uma capacidade de gestão já demonstrada pelos cargos que exerceu e, portanto, será um ótimo diretor interino para dar continuidade nesse trabalho junto aqui do ministério (MCTIC), com o Ibama e também o ministério do Meio Ambiente, de forma que a gente tenha um sistema cada vez melhor”, disse Marcos Pontes, em vídeo publicado nas redes sociais do MCTIC.

 

Leia Também 

INPE: os olhos da floresta

Diretor do INPE é exonerado após Bolsonaro criticar dados do desmatamento

Bolsonaro diz que diretor do INPE pode estar “a serviço de alguma ONG”

 

  • Daniele Bragança

    Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Salada Verde
19 de julho de 2019

Bolsonaro diz que diretor do INPE pode estar “a serviço de alguma ONG”

Irritado com pergunta sobre desmatamento, presidente diz que desconfia dos dados divulgados recentemente sobre a derrubada da floresta em julho

Notícias
2 de agosto de 2019

Diretor do INPE é exonerado após Bolsonaro criticar dados do desmatamento

Demissão ocorreu após 2 semanas de crise iniciada pelo presidente, que disse a jornalistas estrangeiros que Ricardo Galvão estava “a serviço de ONGs”

Reportagens
4 de agosto de 2019

INPE: os olhos da floresta

Reconhecido mundialmente por sua qualidade e transparência, o monitoramento da Amazônia por satélite tem sido replicado mundo afora

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 4

  1. AvatarCarlos Magalhães diz:

  2. AvatarFlávio Zen diz:

    Mantendo a coerência, Bolsonaro escolhe um professor para o MEC, um medico para a Saúde, um economista para Economia e não surpreendentemente um profissional com mestrado em sensoriamento remoto pelo INPE e doutorado em desenvolvimento sustentável pela Universidade de Brasília com tese sobre desmatamento na Amazônia… Um mito!


    1. AvatarAAI diz:

      É… Não sei desta indicação, mas…
      Caso não saibam, existem professores, médicos, economistas etc, de todos os jeitos e competências…


      1. AvatarFlávio Zen diz:

        Mas será que faz sentido alguém com formação na área ocupar o cargo? Seria conveniente para o cargo alguém com a tese Doutorado em Desenvolvimento Sustentável com o título "Uso de técnicas de análise multivariada para a predição de desmatamento na amazônia: o modelo ?AMAZON-PD? ou acha melhor professores, médicos, economistas etc ??? 😉
        Sugestão: deite-se de lado no chão, abrace os joelhos e chore! KKKKKK