Salada Verde

Manifesto alerta para a destruição do Cerrado

ONGs ambientais alertam setores do agronegócio para a destruição de mais de 30% do bioma. A cada 2 meses, perdemos uma área equivalente à cidade de São Paulo

Sabrina Rodrigues ·
11 de setembro de 2017 · 4 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Entre 2013 e 2015, o Brasil destruiu 18.962km² de Cerrado. Isso significa que, a cada dois meses, o equivalente à área da cidade de São Paulo é destruída no bioma. Foto: Mario Crema- Flickr.
Entre 2013 e 2015, o Brasil destruiu 18.962km² de Cerrado. Isso significa que, a cada dois meses, o equivalente à área da cidade de São Paulo é destruída no bioma. Foto: Mario Crema- Flickr.

 

 

Hoje, 11 de setembro, é o dia do Cerrado. Ele é o segundo maior bioma do Brasil, perdendo apenas para a Amazônia. Mas, se os dados de destruição deste bioma continuarem seguindo a proporção de destruição a que está sendo submetido, não deverá sobrar muito para comemorar. É o que alerta o manifesto “Nas mãos do mercado, o futuro do Cerrado: é preciso interromper o de“Nas mãos do mercado, o futuro do Cerrado: é preciso interromper o desmatamento”, assinado por 40 organizações ambientalistas para chamar a atenção de setores da agropecuária, esta que é considerada a principal responsável pelo desmantelamento de mais de 30% do bioma que abriga as nascentes de 8 das 12 regiões hidrográficas brasileiras.

O manifesto reúne 40 organizações signatárias, entre elas WWF-Brasil, TNC (The Nature Conservancy), CI (Conservação International) Brasil, Greenpeace Brasil, IPAM (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia) e Imaflora (Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola). As instituições cobram o comprometimento dos envolvidos na solução de frear a destruição do bioma. “A responsabilidade desse problema é compartilhada por todos os atores da cadeia produtiva, do produtor ao consumidor, incluindo traders, frigoríficos, empresas do varejo, investidores, indústria de insumos agrícolas e companhias de terras”, enfatiza o texto.

Entre 2013 e 2015, o Brasil destruiu 18.962km² de Cerrado. Isso significa que, a cada dois meses, o equivalente à área da cidade de São Paulo é destruída no bioma. Isso torna o Cerrado um dos ecossistemas mais ameaçados do planeta. Se for mantido o padrão de destruição do Cerrado, observado entre os anos de 2003 a 2013, até 2050 serão extintas 480 espécies de plantas e mais de 31 a 34% do Cerrado será perdido.

O documento alerta para várias consequências que já estão acontecendo e que poderão a vir a ocorrer, caso nada seja feito para combater o desmatamento do bioma. O texto ressalta que “o Cerrado estoca o equivalente a 13,7 bilhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2)5, e as emissões significativas de gases de efeito estufa decorrentes do processo de conversão do bioma impedirão o cumprimento dos compromissos internacionais do Brasil nas Convenções do Clima e de Biodiversidade.”

O governo brasileiro não é poupado das cobranças das organizações ambientais, como consta no manifesto “o governo brasileiro também precisa garantir que a lei e os compromissos internacionais assumidos sejam cumpridos, e espera-se que sejam criados instrumentos e políticas necessários para a melhor ordenação da atividade produtiva no Cerrado. Nesse sentido, a criação de áreas protegidas é primordial, bem como a garantia do direito à terra para povos indígenas, comunidades tradicionais e pequenos agricultores da região. É fundamental também que os dados oficiais de desmatamento do Cerrado sejam publicados anualmente, assim como já ocorre na Amazônia”.

As organizações não desejam que o setor acabe, mas sim que a produção possa ser realizada de forma responsável e sustentável “Esse esforço coletivo e multissetorial possibilitará a conciliação da continuidade da produção, com o desenvolvimento de uma economia diversificada na região, garantindo direitos e renda a comunidades locais e a devida proteção dos valiosos ecossistemas naturais do Cerrado”, finaliza o manifesto.

O Cerrado ocupa uma área de 2.036.448 km², cerca de 22% do território nacional. A maior parte do bioma se distribui em área de clima tropical sazonal de inverno seco – semelhante à savana do continente africano (daí o apelido de “savana brasileira”). O bioma encobre os estados de Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Bahia, Maranhão, Piauí, Rondônia, Paraná, São Paulo e Distrito Federal, além dos porções no Amapá, Roraima e Amazonas. A “savana brasileira” abriga cerca de 199 espécies de mamíferos e 837 espécies de aves. São 1200 espécies de peixes, 180 espécies de répteis (28% endêmicas) e 150 espécies de anfíbios (17% endêmicas).

 

Saiba Mais

Manifesto “Nas mãos do mercado, o futuro do Cerrado: é preciso interromper o desmatamento,”

Leia Também

O que é o bioma Cerrado

Uma visão otimista para o futuro do Cerrado

Desmatamento do Cerrado supera o da Amazônia, indica dado oficial

 

 

 

  • Sabrina Rodrigues

    Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Reportagens
25 de julho de 2017

Desmatamento do Cerrado supera o da Amazônia, indica dado oficial

Sem alarde, governo divulga na internet primeiros números do monitoramento anual por satélite do bioma, que mostram área de 9.483 km2 devastada em 2015

Análises
10 de setembro de 2017

Uma visão otimista para o futuro do Cerrado

Hoje, só por hoje, gostaria de lhe dizer que há motivos para comemorar, que há esperança para a conservação e recuperação do bioma, e isso é bom

Dicionário Ambiental
1 de setembro de 2014

O que é o bioma Cerrado

Neste guia ((o))eco, voltamos a atenção para a "Savana brasileira", o segundo maior bioma nacional em extensão.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. AvatarGiovani athayde diz:

    Existe somente um governo que vai acabar com o problema do meio ambiente esse vai ser eterno É o reino de Deus e todas as outras Nações serão exterminadas do planeta se mostraram eficazes em resolver todos os problemas da humanidade Ezequiel: 39: 17-19