Salada Verde

Macron recua e suspende aumento de imposto sobre combustíveis fósseis

França suspende aumento de imposto e congela preço do gás de cozinha, eletricidade e impostos para apaziguar protestos que tomam conta do país

Daniele Bragança ·
4 de dezembro de 2018 · 3 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Foto: Amaury Laporte/Flickr.

O governo francês anunciou nesta quarta-feira (04) a suspensão do aumento de imposto sobre os combustíveis fósseis e o congelamento do gás de cozinha, eletricidade e de impostos. O objetivo é apaziguar os protestos que tomaram conta do país.

Esse é o primeiro grande recuo do presidente Emmanuel Macron, após 1 ano e meio de governo. Na semana passada, o presidente afirmou que não recuaria na proposta de desenvolver a energia renovável.

O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro Édouard Philippe, em pronunciamento pela TV. Philippe afirmou que nenhum imposto “merece pôr em risco a unidade da nação”. O primeiro-ministro também adiantou que suspenderá o endurecimento da inspeção técnica de veículos, que teria início no começo de 2019.

Os protestos dos “gilets jaunes” ou coletes amarelos (por causa das jaquetas que os motoristas franceses são obrigados a manter em seus carros, em caso de acidentes) começaram contra o aumento dos impostos sobre combustíveis. Considerada uma revolta espontânea, sem liderança e interferência partidária, entre as suas fileiras estão aposentados, desempregados, agricultores e donas de casa, as reivindicações não se limitam aos impostos sobre combustíveis, mas a outros.

O governo francês pretende promover um diálogo sobre imposto entre os dias 15 de dezembros e 1º de março. “Neste momento, queremos identificar e implementar medidas de apoio justas e eficazes (…). Eu quero abrir um amplo debate sobre impostos e gastos públicos. Mais transparência em impostos é necessária na França. Nossos impostos são os mais altos da Europa, e nosso sistema fiscal é terrivelmente complexo”, disse.

 

Leia Também

Presidente francês não cortará imposto sobre combustíveis fósseis

Banco Mundial anuncia fim de financiamento a fósseis a partir de 2019

Brasil gasta 1,5 Bolsa-Família incentivando combustíveis fósseis

 

 

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Reportagens
6 de julho de 2017

Brasil gasta 1,5 Bolsa-Família incentivando combustíveis fósseis

Dado se refere a 2014 e é de relatório publicado por organização internacional às vésperas da cúpula do G20, que começa nesta sexta-feira e terá mudança climática entre seus temas principais

Notícias
13 de dezembro de 2017

Banco Mundial anuncia fim de financiamento a fósseis a partir de 2019

A instituição também passará a reportar no ano que vem as emissões geradas pelos projetos que financia no mundo todo.

Salada Verde
29 de novembro de 2018

Presidente francês não cortará imposto sobre combustíveis fósseis

Apesar dos protestos que tomaram o país desde o dia 17 de novembro, Emmanuel Macron anuncia que cobrança entrará em vigor em janeiro

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Flávio Zen diz:

    No paraíso socialista, falhou a malandragem de aumentar impostos para pagar o gigantismo do estado em nome do bem estar social. Como é próprio das ditaduras politicamente correta, não só como você deve criar seus filhos mas como deve ir e vir, é dificultado pelo estado…