Salada Verde

Imazon lança nova Nota Técnica que aponta problemas de MP da Grilagem

O documento é uma resposta às novas alterações feitas pelo relator da Medida Provisória que “mantém ou agrava alguns dos problemas do texto inicial da MP”

Daniele Bragança ·
16 de abril de 2020 · 1 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Grilagem estimula desmatamento. Foto: Jeso Carneiro/Flickr.

O Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) publicou nesta terça-feira (14) uma nova Nota Técnica sobre a Medida Provisória 910/2019 (MP 910), sobre regularização fundiária. A MP foi publicada pelo governo federal em dezembro e ganhou o apelido de “MP da Grilagem” por flexibilizar regras e afrouxar critérios para a regularização de terras públicas invadidas. O documento produzido por especialistas do Imazon analisa as modificações feitas no segundo relatório escrito pelo relator da medida, o senador Irajá Abreu (PSD-TO) que “mantém ou agrava alguns dos problemas do texto inicial da MP, além de trazer novos aspectos negativos”.

A Medida Provisória recebeu 542 emendas de parlamentares e este já é o segundo parecer que o relator escreve sobre a MP, que está em regime de urgência para votação na Câmara dos Deputados.

A nota técnica, assinada pela especialista Brenda Brito, pesquisadora associada do Imazon, destaca os seguintes pontos problemáticos da MP:

  • Mantém a anistia ao crime de invasão de terra pública àqueles que o praticaram entre o final de 2011 e 2014;
  • Incentiva a continuidade de ocupação de terra pública e desmatamento, pois cria direito de preferência na venda por licitação a quem não preencher os requisitos legais para regularização, sem limite de data de ocupação.
  • Cria benefícios a ocupantes de médios e grandes imóveis em terra pública ao: reduzir valores cobrados na titulação de quem já tem outro imóvel; dispensar custas e taxas no cartório e no Incra para médios e grandes imóveis titulados;
  • Aumenta o risco de titular áreas em conflitos ou com demandas prioritárias, pois elimina a vistoria prévia à regularização. Essa proposta contraria uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que exigia um procedimento robusto de checagem de banco de dados já disponíveis para a liberação de vistoria;
  • Permite titular áreas desmatadas ilegalmente sem exigir assinatura prévia de instrumento de regularização de passivo ambiental, nos casos em que não houve autuação ambiental;
  • Permite reincidência de invasão de terra pública, pois autoriza nova titulação a quem foi beneficiado com a regularização e vendeu a área há mais de dez anos. Assim, reforçará o ciclo vicioso de invasão de terra pública;
  • Amplia prazo de renegociação de titulados inadimplentes;

O pesquisador sênior do Imazon, Paulo Barreto, explica que a grilagem está diretamente associada ao desmatamento e, muitas vezes, à pecuária. “A grilagem é a ponta de uma cadeia. Quem invade a terra desmata imediatamente para ganhar dinheiro o mais rápido possível, porque ele está se apropriando de uma terra que não é dele para arrendá-la depois. E a MP [910/2019] beneficia os grileiros e dá um sentimento ainda maior de impunidade para eles continuarem sua prática ilegal”, pondera o pesquisador.

Leia na íntegra a Nota Técnica publicada pelo Imazon.

 

Leia Também

MP da regularização fundiária anistia grilagem de terras públicas até 2018

Frente Parlamentar Ambientalista e sociedade civil se posicionam contra MP da Grilagem

MP beneficiará casos recentes de grilagem, diz Imazon

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Salada Verde
13 de fevereiro de 2020

MP beneficiará casos recentes de grilagem, diz Imazon

Organização lança nota técnica contra a medida provisória 910, que regulariza a ocupação de terras públicas até 2018 em todo o país

Salada Verde
13 de abril de 2020

Frente Parlamentar Ambientalista e sociedade civil se posicionam contra MP da Grilagem

Grupo repudia possível votação da proposta que anistia invasão de terras ocorrida até janeiro de 2018. Medida Provisória regulariza propriedades de até 2500 hectares

Reportagens
11 de dezembro de 2019

MP da regularização fundiária anistia grilagem de terras públicas até 2018

Governo Bolsonaro publica pacote de medidas para “modernizar” processo de titulação de terras no país, mas resultado é anistia geral da grilagem e estímulo à ocupação de mais terras públicas, dizem especialistas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta