Salada Verde

Gavião é avistado na região metropolitana de Curitiba

O gavião-de-penacho foi visto em Bocaiúva do Sul, numa área de Floresta com Araucária. O registro alerta para a importância da preservação do ecossistema

Sabrina Rodrigues ·
1 de agosto de 2017 · 4 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
 O gavião-de-penacho foi visto na região de Bocaiúva do Sul, região metropolitana de Curitiba. Foto: Romulo Silva.

O gavião-de-penacho foi visto na região de Bocaiúva do Sul, região metropolitana de Curitiba. Foto: Romulo Silva.

Um gavião-de-penacho (Spizaetus ornatus) foi vista numa fazenda no município de Bocaiúva do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, no Paraná. O registro foi feito pelo biólogo Romulo Silva, da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS).

A área em que a ave de rapina foi vista é uma zona de restauração de Floresta de Araucária, ecossistema associado à Mata Atlântica. Esse tipo de vegetação acolhe grande parte das espécies ameaçadas de extinção no Paraná, entretanto, menos de 0,8% da área encontra-se em bom estado de conservação. “Essa espécie de gavião depende de áreas de florestas nativas bem conservadas para cumprir seu ciclo de vida, ou seja, territórios para alimentação e reprodução”, explica Romulo Silva, autor da foto que registrou a presença do animal.

O Spizaetus ornatus é uma das grandes aves de rapina do Brasil, pode medir até 65 cm de comprimento e não figura na lista vermelha de espécies de extinção, nem da internacional, feita pela IUCN, nem da nacional, feita pelo ICMBio. No entanto, em alguns estados, como Espirito Santo e Santa Catarina, a espécie é considerada como “Criticamente em Perigo”.

“O desmatamento da Floresta com Araucária persiste até hoje e contribui na redução das populações da espécie. Se nada for feito para garantir a proteção e recuperação das florestas, a espécie poderá ser extinta do ecossistema em um futuro próximo”, alerta o biólogo.

 

*Editado às 11h46, dia 02/08, após observações do leitor Carlos Magalhães. 

 

Leia Também

A araucária e a erosão genética que destrói a Mata Atlântica

 

Floresta fragmentada prejudica regeneração de araucárias

 

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Notícias
26 de junho de 2017

Floresta fragmentada prejudica regeneração de araucárias

Fragmentar as florestas com araucária prejudica regeneração da espécie e afeta a população de animais, de acordo com estudos desenvolvidos na Unesp-Rio Claro

Análises
23 de novembro de 2016

A araucária e a erosão genética que destrói a Mata Atlântica

O pinheiro-brasileiro já perdeu mais de 50% da variabilidade genética em virtude da exploração florestal. Quanto menor a variação, maior a chance de extinção

Salada Verde
23 de julho de 2021

Registro raro mostra uma mamãe onça com seu filhote na Serra do Mar

A cena foi flagrada por um armadilha fotográfica instalada pela equipe do Programa Grandes Mamíferos da Serra do Mar, que monitora a presença de animais como a onça-pintada e a anta na região

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta