Salada Verde

Caça furtiva está por trás do declínio de elefantes na África

População de elefantes diminuiu em 20% de 2006 a 2015, segundo dados da IUCN. Demanda por marfim explica a matança

Sabrina Rodrigues ·
26 de setembro de 2016 · 5 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
A Tanzânia é um dos países mais afetados com a queda na população de elefantes. Foto: Megan Coughlin.
A Tanzânia é um dos países mais afetados com a queda na população de elefantes. Foto: Megan Coughlin.

A população de elefantes na África apresentou uma queda de 20% em 9 anos, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, em inglês) em um relatório divulgado neste domingo, na Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Fauna e Flora Selvagens em Perigo de Extinção (Cites), em Joanesburgo, África do Sul. A situação é preocupante e especialistas consideram que a caça e o comércio ilegal de marfim representam as ameaças mais graves aos elefantes no continente. De acordo com a organização, a contagem atual é de 415 mil elefantes na África, número inferior aos mais de 500 mil desde a última contagem, realizada em 2006. Nesta edição de segunda-feira (26), O Globo dá mais detalhes sobre o relatório divulgado pela IUCN e a relação entre caça ilegal e o declínio da população de elefantes no continente africano.

 

Leia Também

Cites 2016: novo embate entre traficantes e conservação

Grande Censo indica declínio de elefantes nas savanas da África

 

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Análises
25 de setembro de 2016

Cites 2016: novo embate entre traficantes e conservação

Começou em Joanesburgo a Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas (Cites). De lá, contaremos tudo o que se passa.

Notícias
31 de agosto de 2016

Grande Censo indica declínio de elefantes nas savanas da África

Dados de 18 países obtidos pela organização Elefantes Sem Fronteira indicam que número de animais está diminuindo. Caça ilegal e comércio de marfim são as grandes ameaças.

Notícias
24 de setembro de 2021

Ameaçado pelo avanço da agricultura, Pampa é o bioma que mais perde vegetação nativa

Levantamento do Mapbiomas mostra que em 36 anos o segundo menor bioma do país perdeu 21,04% de sua cobertura vegetal. Maior parte da perda foi para a produção de soja

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta