Salada Verde

Bolsonaro cria departamento que irá discutir (e apenas isso) políticas para animais PET

Ministério do Meio Ambiente irá orientar política pública em prol da defesa de animais domésticos, mas resgatar cachorro abandonado continuará sendo tarefa das prefeituras

Marcos Furtado ·
14 de agosto de 2020
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
mma

Acompanhado do presidente da Embratur, Gilson Machado, que dessa vez não levou a sanfona, o presidente Jair Bolsonaro comentou nesta quinta-feira (13), em sua tradicional live semanal, a criação de um departamento dentro do Ministério do Meio Ambiente dedicado exclusivamente para discutir a proteção de animais domésticos.

“Ontem saiu um decreto sobre animais. Que decreto é esse?”, perguntou Jair Bolsonaro.

“É um decreto que institui a Coordenação Nacional de Proteção e Defesa Animal no Ministério do Meio Ambiente. É um órgão federal de políticas públicas que luta pelo bem-estar e combate os maus tratos dos animais domésticos. A gente vê pela primeira vez um governo que tem preocupação com os animais”, disse Gilson Machado.

Políticas públicas como vacinação, castração e controle de zoonoses continua sendo atribuição das prefeituras. A nova coordenação, avisa Bolsonaro, não vai sair por aí atrás de cão abandonado. 

“Ela formula políticas públicas. Não vai ter o Disk-Animal. Isso basicamente é na ponta da linha. Muito mais no município do que no estado. Essa coordenação está à disposição. Quem quiser formular ideias para alterar projetos ou criar projetos de lei para defender os animais, esse pessoal coordena isso tudo e manda para nós. Entra em contato com as secretarias estaduais e municipais para tratar desse assunto. O cara que maltrata um animal é um animal no mau sentido”, disse Bolsonaro, que pergunta em seguida se o presidente da Embratur teve alguma coisa  a ver com isso.

“Essa elaboração foi feita com o pessoal do Ministério do Meio Ambiente com o ministro Ricardo Salles”, disse Gilson. 

A nova Coordenação Nacional de Proteção e Defesa Animal, dentro da Secretaria de Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente, faz parte da nova reestruturação do Ministério, que recriou Secretarias e estruturas extintas quando o Bolsonaro assumiu a presidência e modificou outras. O novo MMA será implementado em 45 dias, junto com a secretaria de cuidado de PET. 

Na mesma live, o presidente ainda voltou a falar sobre o seu assunto favorito na área ambiental: transformar a Estação Ecológica de Tamoios, na Baía de Angra, em um grande polo turístico. O seu companheiro de transmissão online, Gilson, concordou e disse que os turistas ajudariam na conservação do meio ambiente. E de recepcionar turistas o presidente da Embratur tem conhecimento de sobra (Marcos Furtado).

 

Leia Também 

Animais domésticos matam bilhões de silvestres e levam espécies à extinção

 

  • Marcos Furtado

    Marcos Furtado

    Escreveu para ((o))eco, Estadão, Folha de SP, Colabora. Ganhou o Prêmio Santander Jovem Jornalista e teve o 3º lugar em concurso do ICFJ

Leia também

Reportagens
6 de abril de 2020

Animais domésticos matam bilhões de silvestres e levam espécies à extinção

Em seu novo livro – Unnatural Companions – Peter Christie aborda a magnitude dos impactos que animais domésticos têm sobre a conservação no mundo todo

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 4

  1. AvatarFabio diz:

    Enfim um governo que se preocupa com animais não é mesmo, esquerdistas doentes. Onde estavam nos últimos 20 anos que nunca cobraram seus ladrões de estimação da politica? Canalhas…


  2. AvatarVictor diz:

    Parem de ser esquerdopatas seus doentes. No dia da criação da Coordenadoria vcs doentes quem azarar e inventar mentiras. Criem vergonha seus mamadores de tetas, parem de usar os animais para alavancar suas doenças de corrupção. Em seus 16 anos de PT nunca houve nada sequer parecido com isso, hipócritas do mal.


  3. AvatarLuciano diz:

    E antes era NEM ISSO?! Vergonha alheia que fala? débito ou crédito?


  4. Avatareidy campos diz:

    o que deveriam fazer e chipar e catalogar todos caes e tutores e qdo abandonassem fosem multados e teriam que pagar um lt ate o animal ser novamente adotado dai eu queria ver se averia abandono e os animais de rua sem tutores castrados e deveriam ter uma chacarra aonde tivessem feiras e com a fiscalizaçao das protetoras poderiam ate ter casas aonde as protetoras que nao tem familias pudessem viver la e cuidariam dos animais!