Salada Verde

Cartilha ensina a fazer obras sustentáveis

Publicação do Ministério do Meio Ambiente orienta a construção usando novos conceitos de habitação, com otimização dos recursos utilizados.

Redação ((o))eco ·
23 de abril de 2013 · 8 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Essa casa gera economia ao reaproveitar água da chuva. Martim Garcia/MMA.
Essa casa gera economia ao reaproveitar água da chuva. Martim Garcia/MMA.

O Ministério do Meio Ambiente lançou no dia 13 de abril a cartilha “Construções e Reformas Particulares Sustentáveis”, publicação que faz parte da série Cadernos de Consumo Sustentável. O objetivo é orientar os consumidores sobre como fazer moradias e reformas sustentáveis.

Com apenas 9 páginas, a cartilha mostra um mapa com cada cômodo da casa e aponta quais são as opções para a execução da obra dentro dos conceitos de sustentabilidade. A utilização de materiais de construção deve seguir o que for melhor para a saúde e o meio ambiente. No caso do uso de tintas, por exemplo, é preferível aquelas à base de água, pois evitam bactérias, fungos e algas em regiões úmidas. No uso de madeira, a dica é priorizar as certificadas, que garante que o produto não vem de área desmatada ilegalmente.

Além disso, a publicação frisa a utilização da iluminação e ventilação natural, o que diminui o consumo de energia elétrica. Para isso, na hora de construir, o morador precisa levar em conta o clima do lugar e a localização do terreno.

Nas áreas externas, a dica é utilizar reciclados da construção e pavimentação permeável. Segundo a cartilha, prefira o piso externo intertravado, feito de material prensado e que possui vida útil longa e baixo custo de manutenção.

Leia também

Análises
17 de setembro de 2021

O Brasil no coração da conservação mundial da natureza

O Congresso da IUCN anunciou a agenda de conservação da natureza para a próxima década, invocando os governos a empreender uma recuperação baseada na natureza no pós-pandemia

Notícias
17 de setembro de 2021

Ministério cria programa para fazer o que a Agência Nacional de Águas já faz

Lançado nesta sexta (17), o Rio+Limpos tem como objetivo disponibilizar dados sobre qualidade das águas e fomentar ações de melhoria e saneamento, competências historicamente feitas pela ANA

Notícias
17 de setembro de 2021

Tocantins vende terras públicas invadidas a R$ 3,50 o hectare

Valor é o mais baixo entre os estados da Amazônia, revela estudo do Imazon. Além do preço irrisório, Tocantins tem pior colocação no ranking de transparência

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta