Salada Verde

Pantanal ganha longa-metragem

Cineasta lança documentário com belezas, histórias e culturas da planície pantaneira. Produção mostra formação de paisagens únicas no planeta e serve como apelo por sua preservação.

Salada Verde ·
22 de outubro de 2009 · 12 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Um balneário pantaneiro. Foto: Marcelo de Paula/Divulgação
Um balneário pantaneiro. Foto: Marcelo de Paula/Divulgação

O filme explica a formação pantaneira, revela tradições do homem pantaneiro, a importância do gado na ocupação regional, rememora a Guerra do Paraguai e traz relatos de personagens pioneiros, como os Kadiwéu, índios que acompanharam o desenvolvimento local com o ecoturismo, hoje uma das principais fontes econômicas da localidade.

A trilha sonora conta com músicos e compositores tradicionais do Mato Grosso do Sul, como o poeta Emmanuel Marinho, o Grupo Acaba e Gabriel Sater, filho do violeiro Almir Sater.

De Paula circula pela região desde a década de 1980, quando atravessou todo o Mato Grosso do Sul e fez seus primeiros ensaios fotográficos. Na expedição para o filme, percorreu fazendas, a Estrada Parque do Pantanal, a Serra da Bodoquena e as cidades de Bonito, Corumbá, Jardim e Miranda.

Pantanal no ar é seu segundo documentário. O primeiro foi o premiado Karaja, sobre os índios Carajás da Reserva Indígena da Ilha do Bananal, no Tocantins.

A produção teve patrocínio da Agência Ar, Prefeitura Municipal de Bonito, Sebrae Mato Grosso do Sul, Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul e apoio da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul.

Leia também

Análises
17 de setembro de 2021

O Brasil no coração da conservação mundial da natureza

O Congresso da IUCN anunciou a agenda de conservação da natureza para a próxima década, invocando os governos a empreender uma recuperação baseada na natureza no pós-pandemia

Notícias
17 de setembro de 2021

Ministério cria programa para fazer o que a Agência Nacional de Águas já faz

Lançado nesta sexta (17), o Rio+Limpos tem como objetivo disponibilizar dados sobre qualidade das águas e fomentar ações de melhoria e saneamento, competências historicamente feitas pela ANA

Notícias
17 de setembro de 2021

Tocantins vende terras públicas invadidas a R$ 3,50 o hectare

Valor é o mais baixo entre os estados da Amazônia, revela estudo do Imazon. Além do preço irrisório, Tocantins tem pior colocação no ranking de transparência

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta