O melhor do ano em ((o))eco: Clima e Energia

((o))eco
terça-feira, 1 janeiro 2013 19:00

Talvez o maior desafio que a humanidade encara no momento é o de parar de interferir no clima ao mesmo tempo em que consegue suprir suas necessidades energéticas. Nesse sentido, publicamos matérias sobre energia eólica, inclusive sobre os novos conflitos que ela traz para a vida silvestre. Falamos sobre a tecnologia de cisternas populares no Nordeste, revolucionária na forma de se manter os habitantes da região abastecidos de água durante as secas. Sobre clima, mostramos os efeitos locais do desmatamento da Amazônia, as razões do degelo recorde ocorrido na Groenlândia em julho e terminamos com a cobertura da COP18, a conferência do clima, com cobertura feita direto de Doha.

O primeiro módulo científico brasileiro no interior do continente antártico começou a funcionar, um êxito dessa expedição pioneira.
Veja imagem de satélite do temporal na região. Deslizamentos e enchentes atingem cidades como Ponte Nova, próximas à Belo Horizonte.
Plano de expansão das hidrelétricas para ampliar oferta de energia no Brasil também prevê projetos construídos em países vizinhos.
Estudo publicado na revista Nature mostra como, em diferentes circunstâncias, o desmatamento afeta a quantidade de chuvas na região.
Os 3 filmes a seguir, feitos na estação Comandante Ferraz, na Antártica, mostram a agonia do incêndio que consumiu a base brasileira.
Mais de 130 projetos de parques eólicos estão em andamento na Bahia. Teme-se que a proximidade com unidades de conservação seja perigosa.
O Japão tem 54 reatores nucleares, mas nesse sábado, acontecerá algo radical, nenhum deles estará em operação — como o país vai reagir?
Usina de ondas é projeto alternativo para a produção de energia renovável, com baixo impacto ambiental e sem emissão de carbono na natureza.
Iniciativas pretendem distribuir 700 mil cisternas nos 9 estados do semiárido, que vivenciam estiagem duas vezes mais longa que o normal.
Cientistas afirmam que o clima anormal do verão nos EUA, com ondas de calor, incêndios e tempestades são uma amostra do que esperar em 2012.
Modelos mais potentes, de 150W e 200W, pararam de ser produzidas no fim de junho. Todas as variedades estarão fora do mercado até 2017.
Membro da equipe que detectou o mais intenso degelo de verão já ocorrido na região, Thomas Mote, interpreta detalhes do fenômeno.
A superfície terrestre aqueceu 1,5 º Celsius durante os últimos 250 anos, por responsabilidade quase exclusiva dos seres humanos.
Veja fotos de satélite mostrando o caminho de destruição do furacão Sandy, que causou pelo menos 160 mortes e U$ 55 bilhões em danos.
Conferência em Doha, no Catar, prorrogou o Protocolo de Quioto e adiou para 2015 todas as decisões cruciais das negociações climáticas.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.