Reportagens

Degradação dá salto em agosto

Imazon detecta redução de corte raso na Amazônia, mas identifica aumento expressivo da degradação florestal no Pará e em Mato Grosso, que também lidera ranking de queimadas.

Karina Miotto ·
29 de setembro de 2010 · 11 anos atrás

O Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia divulgou, hoje, o boletim Transparência
Florestal. De acordo com o documento, em agosto o Sistema de Alerta de
Desmatamento (SAD) detectou 210 km2 de desmatamento na Amazônia Legal, uma redução
de 23% em relação ao mesmo período do ano passado (273 km2).

Os estados campeões de derrubadas foram Pará (68%), Mato Grosso (11%), Amazonas (10%),
Acre (6%) e Rondônia (5%). A degradação florestal, causada pela retirada de madeira e por
queimadas aumentou em assustadores 241%, batendo 1549 km2 contra os 455km2 de agosto
passado. Para variar, Mato Grosso (46%) e Pará (38%) saem na frente.

Tristes recordes

Não é de hoje que Pará e Mato Grosso lideram listas de campeões do desmatamento.
Especialistas não se cansaram de dizer que neste ano os índices aumentariam
significativamente, já que em época de eleição “pega mal” implicar demais com desmatadores,
pois o objetivo número um de políticos parece ser a conquista de votos.

Enquanto a disputa por votos se acirra, o desmatamento e as queimadas na floresta avançam
impiedosamente. Na semana passada, o Instituto Centro de Vida (ICV) divulgou, com dados
do satélite NOAA-15, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), que do começo do
ano até setembro Mato Grosso consagrou-se como o estado com maior número de focos de
calor do país (15.692), seguido de Tocantins (13.929) e Pará (12.210). No mesmo período de
2009, “apenas” 1692 focos de calor foram registrados no MT.

(Karina Miotto)

Leia também

Notícias
21 de junho de 2021

Estado do Rio reconhece sua 100ª reserva particular

A marca da centésima Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) foi alcançada na última semana. Reservas correspondem a mais de 8.400 hectares protegidos no estado

Reportagens
21 de junho de 2021

Coalizão entre ciência e sociedade acena com esperança para a Baía de Guanabara

Universidade do Mar buscará potencializar parcerias para enfrentamento da problemática socioambiental da baía mais populosa e degradada do Estado do Rio de Janeiro

Salada Verde
21 de junho de 2021

Salles exonera superintendente do Ibama no Acre

Helen de Freitas Cavalcante ficou três meses no cargo. Antes de assumir a superintendência do Ibama, advogada atuava na defesa de infratores ambientais

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta