Reportagens

Educação contra incêndios economiza

Estudo feito na Flórida demonstra que prevenção de incêndios evita perdas ambientais e econômicas. A cada dólar gasto em educação outros 35 são economizados.

Vandré Fonseca ·
22 de julho de 2010 · 11 anos atrás

Campanhas educativas para prevenir incêndios podem salvar milhares de dólares perdidos em incêndios florestais. A afirmação está em um estudo publicado na revista Forest Science, por cientistas americanos.

Os pesquisadores desenvolveram um modelo para calcular os efeitos da educação ambiental na prevenção de incêncios florestais na Flórida, entre 2002 e 2007 e analisaram como as medidas podem reduzir a ocorrência de fogo, a área queimada e o impacto sobre rede de atividades econômicas associadas. De acordo com eles, para cada dólar gasto em campanhas de prevenção, outros 35 dólares são economizados.
 
Se os investimentos na prevenção contra fogo na Flórida entre 2002 e 2007 fossem dobrados, o que significaria gastos de 500 mil dólares, poderiam ser evitados mais de 800 focos de incêndio e economizados 11 milhões de dólares por ano, em danos provocados pelo fogo e custos de combate aos incêndios. Segundo os pesquisadores, esta é a primeira pesquisa a demonstrar que os gastos em educação ambiental são efetidos para proteger a vida selvagem. (Vandré Fonseca)

Leia também

Notícias
27 de julho de 2021

Auditoria do TCU aponta erros do governo federal no combate ao desmatamento na Amazônia

O Ministério do Meio Ambiente terá 120 dias para apresentar um plano de ação com cronograma e medidas que corrijam as falhas apontadas pelo TCU, como a asfixia do Ibama por falta de fiscais

Colunas
27 de julho de 2021

O Brasil precisa aprender a viver no Antropoceno

Se vamos ter que navegar pelo Antropoceno, como espécie e como nação, vamos ter que rever nossa organização interna para conter a degradação

Notícias
27 de julho de 2021

MPF entra com ação civil pública contra fusão do Ibama e ICMBio

Procuradores pedem que Ministério do Meio Ambiente e autarquias escutem a sociedade civil e consulte povos afetados antes de qualquer decisão administrativa sobre o fim do ICMBio

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta