Reportagens

Discursos bonitos

Esta quarta foi o dia dos discursos bonitos. Na abertura do segmento de ministros da 13ª Conferência da Conveção das Nações Unidas sobre Mudanças...

Gustavo Faleiros ·
12 de dezembro de 2007 · 14 anos atrás

Esta quarta foi o dia dos discursos bonitos. Na abertura do segmento de ministros da 13ª Conferência da Conveção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, o presidente da ONU Ban Ki-moon disse que depois do relatório do IPCC o “tempo de dúvidas está terminado.” Já o secretário-executivo da Convenção do Clima, Yvo de Boer, se saiu com essa. “Governantes, vocês não podem sair daqui sem respostas para aqueles que os colocaram aqui.”

Mas a vedete foi o primeiro-ministro recém eleito da Austrália, Kevin Rudd. Antes de entrar na plenária, posou para fotos assinando o Protocolo de Quioto. Depois, quando foi apresentado recebeu um aplauso de pelo menos um minuto. Em seu discurso, afirmou que seu governo já começará a tomar providências para reduzir as emissões de gases estufa em 60% até o ano de 2050. Para isso, prometeu já em 2010 criar um esquema de comércio de créditos de carbono dentro da Austrália. “Não há plano B, não temos outro planeta para escapar”, alertou Rudd.

  • Gustavo Faleiros

    Editor da Rainforest Investigations Network (RIN). Co-fundador do InfoAmazonia e entusiasta do geojornalismo. Baterista dos Eventos Extremos

Leia também

Análises
24 de junho de 2021

O teste de fidelidade de Joaquim Leite

15 medidas que o novo ministro do Meio Ambiente deveria tomar para mostrar que é diferente de Ricardo Salles

Notícias
24 de junho de 2021

Ação exige que o poder público apresente plano para prevenção de novo desastre no Pantanal

Partidos vão ao STF demandar que a União e Estados pantaneiros apresentem em até 30 dias medidas que evitem as queimadas intensas que ocorreram em 2020 e que podem ser piores neste ano

Salada Verde
24 de junho de 2021

Em discurso de saída, Salles anuncia concurso com mil vagas para o Ibama e ICMBio

De acordo com ex-ministro, concurso foi autorizado pelo Ministério da Economia. Se confirmado, anúncio afasta possibilidade de extinção do ICMBio

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta