Download PDF

Esqueleto de um mastodonte americano fêmea e seu filhote. Foto: Wikipédia.

Em meados do século XIX, o escritor americano Henry Thoreau havia se queixado de ter herdado de seus antepassados um mundo natural empobrecido, incompleto. Ele falou que queria conhecer o poema inteiro, mas que seus ancestrais tinham removido muito dos versos das melhores passagens.

Henry Thoreau estava certo. O que temos é uma cópia incompleta, mutilada, do que a natureza já foi. A grande maioria das espécies de grande porte está extinta.

O biólogo e professor do Instituto de Biologia da UFRJ, Fernando Fernandez, contou a ((o))eco um pouco sobre esse poema, que foi tema de seu primeiro livro.

 

Assista:

 

 

Leia Também

Documentário sobre natureza está disponível no Youtube

Vídeo: O que aconteceu com a ave mais abundante do século XIX? por Fernando Fernandez

A máquina do tempo: Flacourt e a fauna perdida de Madagascar