Notícias

Trump quer reduzir monumento nacional criado por Obama

Em abril, o presidente americano ordenou a revisão de 27 monumentos declarados desde 1996, entre eles o Monumento Nacional Bears Ears, em Utah

Sabrina Rodrigues ·
12 de junho de 2017 · 4 anos atrás
O Monumento Nacional Bears Ears protege as mais importantes paisagens dos Estados Unidos, algumas são sagradas para muitas tribos nativo-americanas. Foto: Bureau of Land Management/Flickr.
O Monumento Nacional Bears Ears protege as mais importantes paisagens dos Estados Unidos, algumas são sagradas para muitas tribos nativo-americanas. Foto: Bureau of Land Management/Flickr.

Após reduzir 31% do orçamento da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (Environmental Protection Agency, EPA, em inglês) e de retirar os Estados Unidos do Acordo de Paris, a administração Trump se voltou agora contra as Áreas Protegidas. A vítima da vez é o Monumento Nacional Bears Ears, de Utah.

Em abril, Donald Trump ordenou a revisão de 27 monumentos nacionais declarados desde 1996, entre eles Bears Ears. O secretário do Interior, Ryan Zinke, recomendou ao presidente que o Monumento Nacional Bears Ears tenha o tamanho reduzido “para o menor tamanho possível” que seja compatível com a sua preservação. O tamanho exato dessa redução ainda não determinado. O governo abriu consulta pública sobre o monumento de Bears Ears, que funcionará até o próximo dia 10 de julho.

A revisão do tamanho da unidade de conservação, que possui uma área de 547,074 hectares, pôs o Monumento Nacional Bears Ears no centro das discussões entre Washington e os ambientalistas. Para Zinke, a área poderia ser explorada por atividades como mineração, pastagem, talha e caça.

Os ambientalistas afirmam que a decisão abre um precedente para reverter as proteções para áreas que atraem visitantes e preservar paisagens valiosas, além de recompensar indústrias poluentes que enxergam as terras públicas como fonte de lucro.

Ao declarar uma área como monumento nacional, as atividades de mineração e pastagem existentes podem continuar, mas as novas atividades foram proibidas.

Bear Ears

Em dezembro do ano passado, nos últimos dias de sua administração, Barack Obama declarou Bears Ears um monumento nacional. Obama se utilizou do direito ao Antiquities Act (Leis de Antiguidades), lei de 1906 que dá ao presidente autoridade para criar monumentos nacionais a fim de proteger importantes características naturais, culturais, históricas ou científicas. Bears Ears tem uma importância histórica e cultural para os índios da região.

Durante os oito anos do seu mandato, Obama protegeu 28 lugares importantes, seja do ponto de vista histórico ou natural. Até hoje, nenhum presidente reduziu ou desmantelou um monumento nacional.

Leia Também

O legado de Obama na proteção natural e histórica dos EUA

Agência de Proteção Ambiental Americana terá redução do orçamento de 31%

Trump declara saída de Paris e revolta mundo

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Reportagens
1 de junho de 2017

Trump declara saída de Paris e revolta mundo

Americano diz que tentará “renegociar” uma volta ao tratado “em termos justos” e é rebatido pelo presidente da França; Barack Obama diz que seu sucessor “rejeita o futuro”

Salada Verde
23 de maio de 2017

Agência de Proteção Ambiental Americana terá redução do orçamento de 31%

A medida põe em risco programas como a restauração de lagos, pesquisas sobre mudanças climáticas e combate a crimes ambientais

Salada Verde
5 de janeiro de 2017

O legado de Obama na proteção natural e histórica dos EUA

Presidente designou lugares especiais e importantes que contam fatos históricos do país e protegeu lugares sagrados para os nativos americanos

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 2

  1. paulo diz:

    Mais uma do pato DONALD. Mim gosta de dinheiro,dinheirrrroo. Mutcho dinheeeeeiro.


    1. Verdadeiro diz:

      Falou o Paulo, ambientalista brasileiro, especialista em relações internacionais e política americana.