Notícias

Tailândia prende membro de rede de tráfico de animais selvagens

Bach Van Hoa é um conhecido traficante de animais silvestres. Na operação, foram apreendidos doze quilos e meio de chifres de rinocerontes da África do Sul

Sabrina Rodrigues ·
4 de janeiro de 2018 · 4 anos atrás
O extermínio tanto de elefantes quanto de rinocerontes na África é alimentado pelo tráfico ilegal de marfim, em que os chifres de rinocerontes e as presas dos elefantes são retirados. Foto: Des Morris/Flickr.
O extermínio tanto de elefantes quanto de rinocerontes na África é alimentado pelo tráfico ilegal de marfim, em que os chifres de rinocerontes e as presas dos elefantes são retirados. Foto: Des Morris/Flickr.

Na semana passada, autoridades tailandesas executaram uma ação que resultou na apreensão de 12,5 quilos de chifres de rinocerontes da África do Sul e na prisão de um dos mais importantes traficantes de animais silvestres do país: Bach Van Hoa, membro de uma família investigada por tráfico de animais e figura conhecida das autoridades.

A prisão de Vah Hoa foi considerada peça-chave no combate ao comércio ilícito de vida selvagem no Sudeste Asiático. Bach e outros dois irmãos, Bach Mai e Bach Van Limh, dirigem suas operações na província de Nakhon Phanom.

A ação das autoridades tailandesas contou com a ajuda da ONG Elephant Action League (EAL, na sigla em inglês), que forneceu informações que levaram à prisão de Bach. A EAL, que tem sede nos Estados Unidos, investiga crimes relacionados à vida selvagem e conectou os chifres confiscados à Bach Van Hoa.

Membros da EAL afirmam que a quantidade apreendida de chifres de rinocerontes alcançaria a quantia de 2 milhões de dólares ou mais nos mercados chineses que estão fora do alcance das agências de fiscalização.

O extermínio tanto de elefantes quanto de rinocerontes na África é alimentado pelo tráfico ilegal de marfim, em que os chifres de rinocerontes e as presas dos elefantes são retirados para fazer ornamentos nos países asiáticos e para alimentar a prática supersticiosa de que o pó de marfim serve para tratamento e cura de doenças.

Leia Também

Crime ambiental é a quarta atividade ilegal mais lucrativa do mundo

Policiais são acusados de facilitar tráfico de marfim em Moçambique

Demanda por marfim está desestabilizando a África Central

 

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Reportagens
20 de junho de 2013

Demanda por marfim está desestabilizando a África Central

A caça maciça de elefantes feita através de fronteiras por grupos violentos está levando os países da região a organizarem uma reação.

Salada Verde
16 de agosto de 2017

Policiais são acusados de facilitar tráfico de marfim em Moçambique

Os funcionários aguardam julgamento por facilitar o contrabando de grandes quantidades de chifres de rinocerontes e presas de elefantes

Notícias
6 de junho de 2016

Crime ambiental é a quarta atividade ilegal mais lucrativa do mundo

Comércio ilegal de vida silvestre bate recorde em até US$ 258 bilhões, de acordo com relatório divulgado pela ONU e Interpol.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. paulo diz: