Ricardo Soavinski será o novo presidente do ICMBio

Fabio Pellegrini
domingo, 16 outubro 2016 23:28
Homenagem Rômulo Mello. Foto: Chico Ribeiro/GovMS.
Homenagem Rômulo Mello. Foto: Chico Ribeiro/GovMS.

O secretário de Recursos Hídricos do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Ricardo Soavinski, vai acumular a presidência do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Apesar de ainda não ter ocorrido a publicação no Diário Oficial da União (DOU), a notícia foi adiantada no fim de semana pelo próprio ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, em viagem ao Mato Grosso do Sul.

Durante a visita, membros do Ministério do Meio Ambiente estiveram no Refúgio Ecológico Caiman, onde aconteceu uma homenagem ao presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Rômulo Mello, falecido no último dia 10.

A cerimônia foi realizada pelo Projeto Onçafari, que desenvolve pesquisas de conservação da onça-pintada aliada ao ecoturismo. Durante a visita ao local, o ministro esteve acompanhado do idealizador do projeto, Mário Haberfeld, do secretário de Recursos Hídricos do Ministério do Meio Ambiente, Ricardo Soavinski, e do secretário de Biodiversidade e Florestas do MMA, José Pedro Costa.

Rômulo Mello foi um dos entusiastas da iniciativa e sempre destacou o papel do projeto ao estimular o envolvimento de todos os setores da sociedade para trazer resultados para a conservação da biodiversidade na região.

Segundo Sarney Filho, foi possível testemunhar, na convivência com Rômulo, a sabedoria, a inteligência e a paixão que dedicou às questões socioambientais, na luta cotidiana pelo meio ambiente. “Sua amizade e seu trabalho, firme e generoso, farão imensa falta na nossa gestão”, enfatizou o ministro.

O refúgio é o primeiro empreendimento de ecoturismo do Pantanal de MS, fundado em 1987. A visita ocorreu a convite do Instituto SOS Pantanal que realizou, em parceria com o Governo do estado de Mato Grosso do Sul, o Encontro: “Futuro do Turismo e Iniciativas à Sustentabilidade do Pantanal”.

Ao longo de quatro dias, o ministro e sua comitiva se reuniram com integrantes de instituições não-governamentais para conhecerem in loco as belezas naturais, as boas práticas desenvolvidas e as ameaças que o Pantanal vem sofrendo com o avanço da fronteira agrícola de forma intensiva nos últimos 40 anos.

Biografia

Paranaense de Maringá, Ricardo Soavinski é oceanógrafo e analista ambiental do ICMBio. Sua atuação sempre foi voltada à pesquisa e conservação da natureza. Coordenou programas e projetos no IBAMA, MMA e ICMBio, em cooperação com diversos organismos internacionais. Entre os cargos que ocupou ao longo da carreira, destacam-se o de diretor de Ecossistemas do Ibama, assessor especial do Ministério do Meio Ambiente e diretor de Unidades de Conservação do ICMBio. Soavinski foi secretário do Meio Ambiente do Paraná de janeiro de 2015 até em maio deste ano, quando assumiu a Secretaria de Recursos Hídricos do MMA.

 

Leia Também

Rômulo Mello, presidente do ICMBio, morre aos 58 anos

Agora é oficial: Rômulo Mello volta ao comando do ICMBio

 

 

8 comentários em “Ricardo Soavinski será o novo presidente do ICMBio”

  1. Kkkkkk, "O MMA melhora a olhos vistos", piada… Tá faltando é renovação, daqui a pouco vão convocar o Matusalém pra assumir alguma Diretoria…Kkkkkk, lavou tá novo !!! Salve-se quem puder…

    Responder
    • Pior que é…esse governo entrou e apertou o botão de "fastforward" do ChicoBio pra …2008! Tinha é que ter coragem de acabar com essa estrovenga e refazer toda a estrutura MMA

      Responder
  2. O Governo Federal caindo pelas tabelas, e neguinho vendo o MMA melhorar a olhos vistos, realmente, esse aí deve ter abocanhado um carguinho também. Macaco velho e ainda acumulando funções ? Neguinho leva o meio ambiente e esse ICMBio na flauta mesmo, fala sério !

    Responder
    • Prezado Erick, fundo do poço já estamos… fora aquela meia dúzia de UCs que todos conhecem faz décadas ( Iguaçú, Tijuca, Serra dos Órgãos, etc.) o resto tá tudo abandonado, sem servidores (alguém lembra do último concurso público pro ICMBio, quantas vagas eram ?), sem recursos, sobrevivendo na miséria. Em termos de UCs, conseguimos estar pior que países Africanos, Sul Americanos, etc… e pra piorar vêm MAIS DO MESMO, COM ROUPAGEM NOVA E VELHAS PRÁTICAS… FECHA LOGO O CAIXÃO !!!

      Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.