Notícias

PROS assumirá ICMBio com nome sem ligação ao meio ambiente

Cairo Tavares esteve na sede da autarquia, nesta quinta-feira, e deve ter sua nomeação publicada na edição desta sexta do Diário Oficial da União

Daniele Bragança ·
24 de maio de 2018 · 3 anos atrás
Manifestação de servidores do ICMBio em Novo Airão, Amazonas. Foto: Rede Pro-UC/Facebook.

Que a chefia do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) estava na mão do Partido Republicano da Ordem Social (PROS), até as árvores do Parque Nacional de Brasília já sabiam. Após os protestos dos servidores e ambientalistas, caiu o nome do primeiro indicado, Moacir Bicalho, vice-presidente do PROS Nacional, e entrou o de Cairo Tavares, que é diretor-técnico da Fundação da Ordem Social (FOS), ligada ao partido, e tem uma graduação em ciência política.

Desde a sua criação em 2007, será a primeira vez que o ICMBio será gerido por alguém sem ligação com a área ambiental.

Tavares esteve nesta quinta-feira (24) em reunião com diretores na sede do ICMBio, em Brasília. A princípio, não se sabia se ele seria o indicado ou se estaria negociando um nome. No final da tarde, a rádio corredor da área ambiental já dava como certo o nome de Cairo para mandatário da pasta, que cuida da criação e gestão de Unidades de Conservação federais e da conservação de espécies ameaçadas.

Na noite desta quinta (24), a reportagem de ((o))eco trocou mensagens por WhatsApp com Cairo, que disse que só responderia perguntas nesta sexta-feira (25). Natural de Valparaíso de Goiás, Cairo Tavares é bacharel em ciência política pela Centro Universitário do Distrito Federal (UDF), curso concluído em 2010. Tem 31 anos e além de diretor da FOS é Secretário Nacional de Formação Política do PROS. Não há no seu currículo qualquer menção sobre algum trabalho ou experiência na área ambiental.

Servidores protestam na sede do ICMBio. Foto: Divulgação.

O ICMBio entrou na barganha para o governo manter seu frágil apoio no Congresso Nacional após a aprovação da medida provisória da compensação ambiental, que autoriza a autarquia a selecionar um banco público para gerir uma espécie de “Fundo Amazônia” da compensação ambiental. Cerca de 1,4 bilhões que estavam “presos” no caixa geral do governo serão transferidos para esse fundo. O dinheiro atraiu a atenção dos partidos apoiadores do governo.

Ninguém confirma

A assessoria de comunicação do Ministério do Meio Ambiente se recusou a responder se ocorreu a reunião entre Tavares e a diretoria do ICMBio, se limitando a dizer que a pergunta deveria ser enviada ao ICMBio. Já a assessoria do ICMBio afirmou que as nomeações são oriundas da Casa Civil e do Ministério do Meio Ambiente e que “os questionamentos deverão ser feitos às referidas instituições”.

Nesta sexta-feira, os servidores do ICMBio farão um ato de protesto contra a indicação e prometem fazer barulho na posse. Um ato também está sendo programado para acontecer no Corcovado, no Rio de Janeiro. Os Parques Nacionais da Tijuca, Iguaçu, Serra dos Órgãos, Brasília, Itatiaia e Fernando de Noronha ficarão fechados por uma hora amanhã, a partir das 11h, para expressar o descontentamento com a nomeação de um indicado de partido ruralista para a chefia do órgão.

 

Leia Também

Vice-presidente do PROS é cotado para ser presidente do ICMBio

Loteamento político na Reserva do Tinguá gera mal estar entre servidores

MP que cria fundo para compensação ambiental vai à sanção

 

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Notícias
8 de maio de 2018

MP que cria fundo para compensação ambiental vai à sanção

Senado aprovou a medida provisória que cria uma espécie de “Fundo Amazônia” para gerir os recursos arrecadados com a compensação ambiental

Notícias
10 de maio de 2018

Loteamento político na Reserva do Tinguá gera mal estar entre servidores

Funcionários do ICMBio são contrários à indicação do gestor que não é da área ambiental e que já foi assessor parlamentar de político no Rio

Salada Verde
11 de maio de 2018

Vice-presidente do PROS é cotado para ser presidente do ICMBio

Se a indicação for confirmada, será a primeira vez que a autarquia será gerida por um político sem ligação com a área ambiental desde a sua criação, em 2007

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 39

  1. Márcio diz:

    É lamentável tudo isso, essa briga pra quem vai ficar, enquanto tudo se acaba aos poucos, precisamos manter os recursos do amanhã.


  2. José diz:

    Mas o q me encabula mesmo é não ter um ambientalistazinho decente que se preze do lado do PROS pra assumir a presidência do ICMBio.


  3. Chico Mendes diz:

    José, na Boa, vai lá confraternizar com os etnoamigos…vcs derrubam 10 tarefas pra plantar mandioca onde antes tinha mata ciliar…depois fazem um sopão de tartaruga da Amazônia de entrada e anta de prato principal pra comemorar o bom trabalho…depois tomam cachaça e jogam biriba pra passar o tempo ate de noite…E pode até rolar um rala-coxa mais tarde com as comunitárias… E…tcharam! Mais um dia de chefe de uma etnoreserva fazendo preservação da natureza!


    1. José diz:

      Se testemunhou estes fatos recomendo representar junto ao MPF.


      1. José diz:

        Mas aposto q é só má fé mesmo. O q mais esperar de quem defende essa nomeação indecente pra presidência do ICMBio.


        1. Absalão diz:

          1. José diz:

            Absalão é uma traíra infantil.


  4. Mimimi diz:

    "Será a primeira vez que o órgão será gerido por alguém sem ligação com a área ambiental". Ex garimpeiro tem ligação com a área ambiental? Esqueceram já? Alguém protestou na época? Protesto de corporativistas tentando salvar seus cargos. Novidade nenhuma. Retrocesso ambiental foi criar esta falácia chamado ICMBio. Cheio de chefes que sequer conhecem as próprias UCs, com capacidade técnica extremamente questionável. Gestões baseadas em achismos e ideologias pessoais. Uma Vergonha.


    1. José diz:

      De achismo e ignorância dá pra ver q vc entende.


      1. Mimimi diz:

  5. bussolacultural diz:

    Estou falando,que ainda, não vimos tudo desses #GOLPISTASINCOMPETENTESEIRRESPONSÁVEIS! Que #ABSURDO!


  6. Jair diz:

    Tão falando em fechar as UCs em protesto. A UCs sao públicas, meio ambiente é direito, ir e vir também. Podem reparar, os porta-vozes dos servidores tem vínculo político-partidário


  7. José Truda diz:

    O Presidente do ICMBio não pode ser bacharel em Ciências Políticas, mas as UCs podem ser entregues regularmente a "gestores" "de Humanas" sem qualquer noção técnica de manejo de áreas protegidas, e isso pode? Gostaria que me explicassem…


    1. José diz:

      Explico, xará. Pode! Dentre os vários problemas com que um gestor de UC tem que lidar está os que se relacionam às questões de humanas. Grande parte de nossas UCs são ocupadas por populações humanas. Se vc já foi gestor ou acompanhou de perto o trabalho de gestão de alguma UC deve saber disso. A presidência do ICMBio também poderia ser entregue a um "gestor" "de Humanas", como aliás já foi, quando o Maretti, um "gestor" "de Humanas" foi nomeado. Acontece que o Maretti tinha uma longa história no ambientalismo, além de formação acadêmica, que o respaldavam a assumir a empreita.O problema não é a formação, mas a bagagem, o histórico, que o Cairo Tavares, não demonstra possuir para assumir a presidência do ICMBio. Blz?


      1. José Truda diz:

        Ah tá. A questão não é formação, é bagagem. Pode ser uma forma de ver. Mas e quando a criatura não tem qualquer conhecimento nem de gestão de UC no que tange à biodiversidade, que é a PRINCIPAL missão do Instituto? Tá valendo? Meu ponto é que o ICMBio tem um histórico de negligenciar a formação do seu staff e aceitar que cada gestor vire um reizinho governando a "sua" UC na base do achômetro, até porque não se lhe proporcionou oportunidade de fazer diferente, e tampouco há mobilização efetiva pra que haja carreira e formação decentes. Fica difícil não achar que há dois pesos e duas medidas. Se essa mobilização corporativa levar a rediscutir a estrutura, beles. Se não, será só mais um espasmo. Abraço e obrigado pela réplica!


        1. Absalão diz:

          Foi direto na ferida o Truda.. é corporativismo da panelinha atual.


        2. José diz:

          Um gestor sem qqr conhecimento assumir a gestão de uc tb tá errado, mas isso não tem sido a regra no ICMBio. Em geral os gestores têm um mínimo de formação até por conta do processo seletivo para ingresso. Os casos como do seu exemplo devem ser, sim, denunciados. Vc sabe de algum caso concreto?


          1. Jair diz:

            Processo seletivo pra chefias no Icmbio, tanto UC como em BSB e Centros é "alinhamento" com a Direção! #panelinha


          2. José diz:

            Alinhamento é claro q tem q ter, seria melhor processos mais objetivos, concordo, mas em geral as chefias de UC não são cargos tâo concorridos assim. Mas pra ser analista ambiental e entrar numa das panelinhastem um concurso público concorrido e um curso de formação. E é difícil alguém já pegar uma chefia de cara. De modo geral e bem amplo quem tá numa chefia já tem couro mais grosso.


          3. Jair diz:

            Tá mal informado. Teve muito garotão e garotona sub 30 nomeado chefe fe uC, principalmente Amazonia…


          4. José diz:

            E qual o problema?


          5. Jair diz:

            O problema é experiência/vivência ZERO, facilmente cooptáveis


          6. José diz:

            Nuss…Fale por si


          7. Jair diz:

            Teve muito chefe que virou DAS só pra fugir da vaga no Norte. Gente que faz concurso pra vaga mais fácil e depois se arruma num esquema pra não ir. Esse é o tipo de AA que manda e usufruta do Icmbio hj. Quer defender, azar seu!


          8. José diz:

            Não são esses q defendo, nem são esses q vc ataca.


          9. José Truda diz:

            Se eu mencionasse UM caso concreto só estaria sendo injusto. 🙂


          10. José diz:

            Vc é injusto qdo fala de maneira genérica do corpo técnico do ICMBio. Citar todos (não precisa ser só um) que vc conhece que exemplificam o caso seria uma forma de reparar.


        3. Carlos Augusto diz:

          Vocês ainda dão trela a este energúmeno do Truda? É um incendiário kamikaze que não sabe trocar as próprias fraldas e não contém sua diarreia verborrágica.


      2. Perseguido diz:

        O cara citar o Maretti como bom exemplo de gestão é complicado! Mais fraco que o Maretti só o Vizentin. O Maretti, também conhecido como rainha da Inglaterra, por ser só uma peça de decoração, só ficou na teoria e nas viagens internacionais. Quem manda é desmanda no ICMBio é a Margaret Thatcher do PT.


        1. José diz:

          Complicado mesmo é tentar dialogar com quem não consegue ler. Ninguém entrou no mérito da qualidade da gestão do Maretti. Citei a nomeação do Maretti como exemplo de uma nomeação de alguém com formação em ciências humanas que foi bem aceito pelos servidores do ICMBio.


  8. Manuel diz:

    Que bom! Não queriam um ruralista! Acabou dando certo.


  9. Absalão diz:

    O ICMbio é gerido de fato pela Diretora de Administração, tb sem experiência prévia na área ambiental, mas com "experiência em outras áreas"


  10. Stelmach diz:

    Agora rifaram os parques no Brasil. Como dizia o Brizola, "tudo são os interesses".


  11. António Guterrez diz:

    Esperando os defensores deste governo ilegítimo se manifestarem. #vemtreta


    1. André Matos diz:

      Assistindo os defensores desse órgão inconstitucional e perdulário se manifestarem. #vaichicominion


  12. Paulo diz:

    Sentiram cheiro(abutres políticos) de dinheiro novo chegando.


  13. Debora diz:

    Alem dos protestos, não teria como fazer um abaixo assinado para tirar esse Caio Tavares?


    1. Inocentes diz:

      Podiam também fazer apitação, vestir preto e usar nariz de palhaço…seria "inédito" e muito "efetivo"!!!