Notícias

Núcleo ambiental da PUC-Rio lança petição para barrar PEC 65

Campanha de repúdio à Proposta de Emenda Constitucional que acaba com licenciamento ambiental busca apoio através da plataforma online Avaaz

Duda Menegassi ·
25 de maio de 2016 · 5 anos atrás
Proposta pelo senador Acir Gurgacz, a PEC-65 acaba com o licenciamento ambiental no país. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado.
Proposta pelo senador Acir Gurgacz, a PEC-65 acaba com o licenciamento ambiental no país. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado.

O NIMA-Jur, grupo de Estudos de Direito Ambiental da PUC-Rio, lançou um abaixo-assinado contra a PEC 65, através da plataforma online Avaaz. De acordo com o texto da petição, a emenda “contraria frontalmente toda legislação relativa aos instrumentos de controle ambiental” baseados nos princípios de prevenção e precaução.

A PEC 65 gerou uma reação contra ela dos movimentos ambientais. A razão é simples.  De acordo com o texto da emenda, o licenciamento deixar de ser necessário. Basta apenas o Estudo e Relatório de Impacto Ambiental (EIA-RIMA), encomendado pela própria empreiteira da obra, para validar o prosseguimento da construção.

Virgínia Totti, coordenadora do NIMA-Jur, explica que a PEC 65 traz implícita a ideia de que a legislação ambiental é um obstáculo para o desenvolvimento econômico. “Isto precisa ser combatido”, diz ela. “Se o processo de licenciamento precisa ser aperfeiçoado, que seja amplamente discutido, mas colocar a questão em termos de agilidade, tal como vem sendo apresentadas as propostas de emenda à Constituição, os projetos de lei e revisão das resoluções do CONAMA é retroceder, e muito, na garantia de nossos direitos difusos e sociais”.

A campanha tem o apoio da Associação de Moradores do Alto Gávea, da Associação de Amigos do Museu da Cidade do Rio de Janeiro, da Asimaba-DF, do Grupo de Pesquisas Direito e Meio Ambiente Nas Cidades – UFMG, da Associação de Professores de Direito Ambiental do Brasil, do Fórum Amazônia Oriental, e do Grupo de Estudos Em Meio Ambiente e Direito – UFF.

Outras organizações também já se posicionaram contra a emenda. O Instituto Pólis também iniciou outro abaixo-assinado para tentar derrubar a proposta. E, no começo de maio, o próprio Ministério Público Federal divulgou uma nota técnica em que esclarece a inconsistência jurídica e constitucional para a justificativa das alterações previstas pela PEC 65.

Virgínia ressalta que “a PEC 65 talvez seja a mais radical das propostas, mas há outras que representam retrocessos”. Ela coloca nessa lista a PEC 215, que altera o processo de demarcação de terras indígenas; o projeto de lei 654/2015, que pretende estabelecer um procedimento de licenciamento ambiental especial para empreendimentos de infraestrutura considerados estratégicos e de interesse nacional; e o projeto de lei 3200/2015, que facilita o registro de agrotóxicos.

O NIMA-Jur espera que a petição online obtenha uma numerosa adesão. “Quanto mais pessoas entenderem o que está em jogo, maiores são as chances de barrar estes retrocessos que terão impactos ambientais e sociais incalculáveis”, diz Virgínia.

Leia Também

Comissão do Senado aprova PEC que derruba licenciamento ambiental

O que é Licenciamento Ambiental

Avança projeto que fragiliza o licenciamento de obras estratégicas

 

 

 

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação e montanhismo. Escreve para ((o))eco desde 2012. Autora do livr...

Leia também

Notícias
25 de novembro de 2015

Avança projeto que fragiliza o licenciamento de obras estratégicas

Proposta do senador Romero Jucá determina um prazo de 230 dias para que o órgão ambiental conceda ou não a licença para grandes obras.

Dicionário Ambiental
30 de junho de 2013

O que é Licenciamento Ambiental

Um guia ((o))eco para que você aprenda um pouco mais sobre o instrumento de administração pública intitulado licenciamento ambiental.

Notícias
3 de maio de 2016

Comissão do Senado aprova PEC que derruba licenciamento ambiental

Proposta prevê que a simples apresentação do Estudo de Impacto Ambiental é suficiente para garantir a obra, que não poderá mais ser suspensa ou cancelada.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 3

  1. Jonathan Macedo diz:

    Isso não está passando despercebido da comunidade internacional: http://www.sciencemag.org/news/2016/05/brazil-pol


  2. FR diz:

    Alguém desses que estão se posicionando/opinando/palpitando já leu pelo menos UM processo de licenciamento inteiro, de cabo a rabo, desde a solicitação pelo empreendedor, passando pelo TR, EIA, check-list, pareceres, eventualmente audiências públicas, relatórios de vistorias, manifestações das diversas instâncias dentro do órgão licenciador, emissão das licenças e análise do atendimento de condicionantes???


  3. Afonso diz:

    Retrocesso é retirar colonos centenarios de suas terras para dar a indios que nao produzem nem para si.