Notícias

Novo superintendente do Ibama de Tocantins cai em menos de 24 horas nomeado

Advogado zombou do órgão nas redes sociais, admitiu comer animal silvestre protegido por lei, foi autuado e ministro revogou nomeação.

Daniele Bragança ·
12 de agosto de 2016 · 5 anos atrás
Sede do Ministério do Meio Ambiente, em Brasília. Foto: Ascom/MMA.
Sede do Ministério do Meio Ambiente, em Brasília. Foto: Ascom/MMA.

O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, teve que voltar atrás em menos 24 horas sobre a nomeação de mais um indicado político para assumir uma superintendência do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Dessa vez, o caso aconteceu em Tocantins. A nomeação de Luciolo Cunha Gomes para a chefia do órgão ambiental saiu nesta quinta-feira (11). Após ser multado pelo Ibama por crime ambiental nesta sexta-feira (12), o advogado teve a nomeação tornada sem efeito. 

Tudo por conta de uma postagem no Facebook em 2013. Nela, Gomes relata estar comendo caititu, um animal silvestre que está na lista da Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Fauna e da Flora Silvestres Ameaçadas de Extinção (CITES). A caça de animais silvestres é proibido pela Lei de Crimes Ambientais.

PrintNa postagem, Gomes relata que está “Deliciando pernil de caititu na house de (…) kkkk o medo aqui é só aparecer o Ibama…rssss”. Alertado pelos colegas na postagem, o advogado ainda afirma que o Ibama “não sabem o endereço” (sic).

Em 2016, o Ibama soube. Nesta sexta-feira (12), o advogado e o amigo foram multados no valor de 5 mil reais e responderão a um processo administrativo dentro do Ibama. O advogado tem 20 dias para se defender.

“Para os agentes de fiscalização federais do IBAMA, ficou claro que o nomeado estava confessando um ilícito ambiental. Ou, se estava de brincadeira, foi um escárnio para com os profissionais que ele iria comandar. Que moral ele teria, caso a nomeação dele fosse mantida?”, afirmou um servidor, que pediu para não ser identificado.

Em nota, o ministro do Meio Ambiente afirmou que revogará as nomeações de “indivíduos que se mostrem incompatíveis com o cargo”.

“Esclareço que os nomes designados para as superintendências estaduais do Ibama são indicações das bancadas parlamentares dos respectivos estados. Não aceitaremos, contudo, em nosso quadro funcional, indivíduos que se mostrem incompatíveis com o cargo. No caso do superintendente nomeado para o Tocantins, a incompatibilidade ficou clara e a nomeação foi tornada sem efeito”, afirmou.

Parte dos servidores que conversaram com ((o))eco, alguns ligados a Associação Nacional dos Servidores do Ibama, acusam as recentes nomeações do Ibama de serem uma estratégia do governo para agradar as bancadas estaduais. Mudanças de cargos em troca de apoio ao novo grupo político.

“O MMA não está livre da culpa por ter nomeado pessoas para exercer cargos no IBAMA que não tem qualquer perfil para a área ambiental. Outra coisa importante, o MMA está interessado em agradar as bancadas estaduais, quando deveria estar preocupado com a qualidade do meio ambiente no Brasil”, afirma o mesmo servidor.

 

Leia Também

Ministro não vê problema em nomeações políticas no Ibama

Ministro volta atrás e não dará posse a infrator ambiental no Ibama

Servidores do Ibama se mobilizam contra o loteamento político no órgão

 

 

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Notícias
20 de julho de 2016

Servidores do Ibama se mobilizam contra o loteamento político no órgão

Associação dos servidores chama de retrocesso as nomeações recentes de políticos para cargos de superintendentes, sem experiência na área ambiental.

Salada Verde
26 de julho de 2016

Ministro volta atrás e não dará posse a infrator ambiental no Ibama

Neuvaldo David Oliveira é réu em quatro ações de improbidade e já foi multado por instalar rede de energia elétrica em área de restinga.

Notícias
29 de julho de 2016

Ministro não vê problema em nomeações políticas no Ibama

Casos como o da superintendência da Bahia só serão revistos se indicado não estiver apto a desempenhar função, afirmou Sarney Filho.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 9

  1. Meme diz:

    Primeiramente…FORA ICMBIO!


  2. AMANDA diz:

    TEM QUE TIRAR TODO MUNDO DA NATURATINS E IBAMA, TODOS CORRUPTOS, CAÇAM A TORTA E DIREITA, MATAM SEM DÓ NEM PIEDADE, TRABALHEI MUITO TEMPO LÁ COM MEIO AMBIENTE SEM BEM O QUE VI E OUVI. AHHH E NÃO ADIANTA DENUNCIAR … SABEM PQ NÉ …


    1. George diz:

      Calma aí. Tem gente corrupta nos órgãos ambientais sim. Infelizmente, nosso país está infectado por corrupção, e o meio ambiente não é exceção. Mas posso garantir que não é "todo mundo", nem perto disso. No Tocantins tanto o IBAMA quanto o Naturatins tem servidores que são um exemplo de dedicação e ética para todo o Brasil. Se você de fato trabalhou aqui, você sabe muito bem disso.


  3. PAndre diz:

    KKKKKKKkkk, errar e voltar atrás agora virou virtude… o problema é ficar errando a torto e a direito: incompetência política e técnica.


    1. para PAndre diz:

      Incompetência politica e técnica + CORRUPÇÃO foi o que tivemos durante os últimos 13 anos


      1. PAndre diz:

        É ?! Concordo. Mas o que têm haver com os erros atuais ? Ah, entendi… disputa partidária… um melhor que outro, acorda Brasil !!!


  4. George diz:

    Pelo menos o Zequinha recua quando encontra um pretexto para dizer para os indicados que não dá… No Brasil de hoje isso passa por seriedade.


  5. Num tô intendendo diz:

    Caramba Temer…briguei tanto pra tirar o Petê, e vc me dando uns vacilos desse, pô!!! Imagina o que nos estamos tendo que ouvir dos colegas "anti-golpe"! Inexplicável também a Grã-Petista na direção do Icmbio?????? Pode isso, Arnaldo?


  6. umbrios27 diz:

    Indicação política nos órgãos, sempre haverá. Mas fico feliz com a presteza de "desindicar" que está sendo mostrada. Já é uma melhora.