Notícias

Governo pode cortar 50% das verbas para unidades de conservação

Estudo do WWF-Brasil e Contas Abertas alerta para a escassez de recursos para a área ambiental. Cortes no orçamento da União para 2018 compromete combate ao desmatamento

Sabrina Rodrigues ·
25 de outubro de 2017 · 4 anos atrás
A verba destinada às unidades de conservação poderá ser 50% menor do que a do ano passado, se o Congresso aprovar sem alteração a proposta orçamentária enviada pelo Governo Federal. Foto: Beto Barata/Flick
A verba destinada às unidades de conservação poderá ser 50% menor do que a do ano passado, se o Congresso aprovar sem alteração a proposta orçamentária enviada pelo Governo Federal. Foto: Beto Barata/Flick

A verba destinada às unidades de conservação poderá ser 50% menor do que a do ano passado, se o Congresso aprovar sem alteração a proposta orçamentária enviada pelo Governo Federal. É o que revela um levantamento feito pelo World Wide Fund (WWF-Brasil) em parceria com a Associação Contas Abertas.

O estudo constatou que o governo destinou R$ 122,9 milhões para a criação, implantação, monitoramento e projetos de manejo nas áreas protegidas no Projeto de Lei do Orçamento de 2018. No ano passado, a previsão de gastos foi de R$ 244,5 milhões na proposta de 2017, um corte de 50,3%.

A previsão de diminuição de verba para 2018 atinge em cheio trabalhos como o combate ao desmatamento, adaptação às mudanças climáticas, manejo florestal, regularização dos imóveis rurais, licenciamento ambiental e, em menor proporção, a implantação da Política Nacional de Recursos Hídricos.

O Programa Bolsa Verde, implementado em 2011, que é um incentivo do governo de R$ 300,00 para as famílias que usam as áreas onde vivem de forma sustentável, foi o mais atingido. Com gastos autorizados de mais de R$ 70 milhões nos últimos dois anos, ele simplesmente desaparece no PLOA 2018. O governo pretende repassar a conta ao Fundo Amazônia, que também pode sofrer corte nos aportes.

Cortes no Ministério do Meio Ambiente

Ainda segundo o estudo, a previsão do orçamento para Ministério do Meio Ambiente é de R$ 3,278 bilhões em 2018, contra R$ 3,786 bilhões que teve este ano, valor 29% menor do que a média destinada ao MMA pelos projetos de lei orçamentária na última década, de R$ 4,6 bilhões.

O relatório ressalta que entre as autarquias subordinadas ao ministério, o corte mais acentuado é o do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, que administra as Unidades de Conservação federais. O Orçamento proposto para 2018 (R$ 589 milhões) é 52% menor do que o do ano passado (R$ 1,246 bilhão).

O novo Orçamento só deve ser conhecido em dezembro, já que o Congresso precisa apreciar as emendas e votar a Lei antes do recesso. Mas o relatório ressalta que para alcançar a média dos gastos autorizados ao MMA na última década, a proposta de gastos apresentada pelo governo para a pasta teria de crescer 1,7 bilhão durante o processo de votação.

Saiba Mais
Cortes no orçamento da União para 2018 atingem unidades de conservação e combate ao desmatamento

Leia Também

Bolsa Verde apoiará proteção de espécies ameaçadas

Governo corta 43% do orçamento do Ministério do Meio Ambiente

Segundo corte no orçamento pode levar ICMBio à penúria

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Reportagens
5 de setembro de 2013

Segundo corte no orçamento pode levar ICMBio à penúria

Novo corte pode fazer com que, já em setembro, o Instituto Chico Mendes fique com o caixa negativo, sem recursos para chegar ao fim do ano.

Reportagens
4 de abril de 2017

Governo corta 43% do orçamento do Ministério do Meio Ambiente

Ministério só terá 446,5 milhões para gastar em despesas como operação de fiscalização. Valor antes do contingenciamento era de 782 milhões

Salada Verde
13 de junho de 2017

Bolsa Verde apoiará proteção de espécies ameaçadas

Resolução do Ministério do Meio Ambiente pretende expandir o Programa Bolsa Verde com o objetivo de preservar espécies da fauna e da flora ameaçadas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 4

  1. ColibriC5 diz:

    Ué, o problema financeiro não eram as máquinas de café na Sede do Icmbio? Já tiraram as máquinas, e ainda tá faltando verba?


  2. paulo diz:

    Dinheiro tem. Mas somente para os amigos do rei.


  3. AAposentado diz:

    Acabem logo com o ICMBIo e junta tudo de novo que economiza…próximo presidento ou presidenta já vai fazer isso mesmo, pode escrever