Notícias

Chile enfrenta maior desastre florestal de sua história

Onda de incêndios obriga governo chileno a fechar temporariamente parques, reservas naturais e monumentos nacionais. Até o momento, foram registrados 89 focos

Sabrina Rodrigues ·
24 de janeiro de 2017 · 5 anos atrás
Reserva Nacional Rio de Los Cipreses é uma das 43 unidades de conservação chilenas fechadas para visitação devido a onda de incêndios. Foto: ChileBike/Flickr
Reserva Nacional Rio de Los Cipreses é uma das 43 unidades de conservação chilenas fechadas para visitação devido a onda de incêndios. Foto: ChileBike/Flickr

O Chile enfrenta o maior desastre florestal da sua história, incêndios de grandes proporções já provocaram a destruição de um total de 155 mil hectares, ou seja, 1.550 km². É como se uma área um pouco maior do que a cidade de São Paulo pegasse fogo. Até o momento, os incêndios deixaram três brigadistas mortos e três feridos. Segundo o governo chileno, os incêndios são comuns durante a época de estiagem, mas as ações humanas e as mudanças climáticas são os motivos para o agravamento das queimadas.

A Corporação Nacional Florestal (CONAF), órgão ligado ao Ministério da Agricultura do Chile, informou que até o dia de hoje (24), de 89 registros, 36 focos estão sendo combatidos e 3 foram extintos. A situação é tão grave que o governo fechou, temporariamente, parques nacionais, reservas nacionais e monumentos naturais entre as regiões de Coquimbo e Los Rios. Até agora, são 43 unidades de conservação fechadas para visitação.

“O fechamento de parques, reservas e monumentos entre Coquimbo e Los Rios acontecem a partir de segunda-feira (23) e vai continuar até que as condições meteorológicas se estabilizem e não representem um risco para a propagação de incêndios florestais, como altas temperaturas, baixa umidade relativa e rajadas de vento. Além disso, a medida também visa reduzir o risco para os visitantes em caso de incêndios próximos ou dentro das unidades”, disse o diretor executivo da CONAF, Aaron Cavieres.

Os acontecimentos forçaram a presidente do Chile, Michelle Bachelet, a cancelar viagem à República Dominicana, onde participaria da cúpula de presidentes da Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac). “O país enfrenta o maior desastre florestal da sua história, mas superaremos a emergência”, afirmou Bachelet.

Em comparação aos anos de 2015-2016, o número de incêndios aumentou 14% no período de 2016-2017. A superfície afetada teve um acréscimo de 1.182%.

Em comparação aos anos de 2015-2016, houve um aumento de 14% no  número de   incêndios nos anos de 2016-2017. Fonte da Tabela: CONAF.
Em comparação aos anos de 2015-2016, houve um aumento de 14% no número de incêndios nos anos de 2016-2017. Fonte da Tabela: CONAF.

Leia também

Brigadistas brasileiros combatem fogo no Chile

Os incêndios florestais vistos do espaço

Incêndios põem Bolívia entre países com maior desmatamento

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Notícias
28 de novembro de 2013

Incêndios põem Bolívia entre países com maior desmatamento

Uso descontrolado do fogo para limpar campo é apontado como principal responsável por destruição da cobertura florestal.

Notícias
9 de setembro de 2012

Os incêndios florestais vistos do espaço

O ano de 2012 vem sendo marcado por altas temperaturas e falta de chuvas, o que aumenta muito os riscos de incêndios florestais.

Notícias
19 de janeiro de 2012

Brigadistas brasileiros combatem fogo no Chile

Em uma das piores temporadas de incêndios florestais no Chile, profissionais do Ibama foram chamados para ajudar o governo chileno. Veja imagem de satélite e mapa interativo com dados dos focos de calor.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta