Governadores do clima: Acre é celebrado como melhor aluno

Daniele Bragança
segunda-feira, 11 agosto 2014 23:52
Governadores e delegados ficam de pé para a foto oficial de abertura do CGF. Foto: Divulgação.

Rio Branco − Diminuição do desmatamento com aumento de renda per capita. O estado amazônico que melhor conseguiu transformar a proteção da floresta em vitrine política sedia este ano a 8ª Reunião Anual da Força Tarefa dos Governadores para o Clima e Florestas (GCF – Governors’ Climate and Forests Task Force), evento que começou hoje na capital do Acre e termina no próximo dia 14. O GCF existe desde 2008 e conta com 22 estados e províncias de 7 países: Brasil, Indonésia, México, Nigéria, Peru, Espanha e Estados Unidos.

O primeiro dia foi marcado por discussões sobre mecanismos de REDD+ nas diferentes províncias e estados e pela celebração do Acre como paradigma pelo grupo. “É o modelo a se seguir”, aponta William Boyd, secretário-geral do GCF.

Ao ser perguntado sobre quais medidas estão sendo tomadas para diminuir a emissão de gases de efeito estufa a partir da queda do desmatamento, Boyd citou mais exemplos acrianos, como a Fábrica de Preservativos Masculinos Natex, cuja produção é feita com látex nativo proveniente da Reserva Extrativista Chico Mendes e região, o que mantêm o modo de vida dos seringueiros e não destrói a floresta, “exemplos que podem ser adotados em outros lugares”, afirmou.

O governador do Acre, Tião Viana (PT), apontou em coletiva de imprensa as políticas adotadas no Acre que fazem do estado essa liderança apontada.

“Nós do estado do Acre, a nossa parte foi assegurar resultado concreto. Nós provamos que além de uma preocupação internacional, de uma preocupação setorial, nós dos países tropicais que tem suas áreas de florestas estamos reduzindo a curva do desmatamento fortemente, estamos reduzindo a emissão de carbono e estamos assegurando desenvolvimento e melhorando a qualidade de vida das pessoas, aumentando o PIB per capita e assegurando boas práticas da vida institucional. Isso é uma demonstração inequívoca da referência e da credibilidade e da responsabilidade com esse tema”, afirmou Viana.

Declaração de Rio Branco

A carta foi assinada na manhã de hoje pelos governantes e delegados presentes no evento. De acordo com Ana Euler, diretora-presidente do Instituto Estadual de Florestas do Amapá, a declaração vem afirmar os princípios dos participantes do GCF “e explicitar uma visão de um bloco de 3 continentes, com 5 línguas diferentes, que conseguiram se alinhar em torno da redução do desmatamento”.

Ainda segundo Euler, a GCF tem como meta a manutenção das florestas com igualdade de distribuição de renda e principalmente, “o desenvolvimento do setor produtivo-florestal e de serviços ambientais”.

Além de assinar a Declaração de Rio Branco, um documento que amarra os objetivos em comum dos membros do GCF, o encontro serve como prévia das discussões que serão feitas na COP 20, que acontecerá no final do ano no Peru.

 

Leia Também
Força Tarefa Verde se reúne no Acre
Por que continua a destruição das florestas tropicais?
Entenda o que é REDD

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.