Imazon: desmatamento despenca em fevereiro e março

Daniele Bragança e Rafael Fereira
terça-feira, 22 abril 2014 20:24
Operação Commodities, do Ibama, monitora o descumprimento de embargo de áreas desmatadas ilegalmente no Mato Grosso. Foto: Nicélio Silva/Ascom Ibama.
Operação Commodities, do Ibama, monitora o descumprimento de embargo de áreas desmatadas ilegalmente no Mato Grosso. Foto: Nicélio Silva/Ascom Ibama.

Os alertas mensais de desmatamento na Amazônia continuam apontando para uma redução do desmatamento, segundo números divulgados na semana passada pelo Imazon. Em março, foram detectados 20 quilômetros quadrados de desmate, uma redução de 75% em relação ao mesmo mês do ano passado, quando o desmatamento somou 79 km². Uma redução um pouco maior, de 77%, também foi verificada em fevereiro, quando foram registrados 11 km² de alertas de desmatamento.

Entretanto, as nuvens no meio do caminho, entre o satélite que fica de olho na mudança da floresta amazônica brasileira e o solo, prejudicam o sensoriamento remoto. Elas escondem queimadas e desmatamentos e é exatamente por isso que os bons números apresentados no Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) do Imazon devem ser olhados com cuidado. Apenas 31% da área florestal na Amazônia pôde ser monitorada em fevereiro. Esse número sobiu um pouco em março, com 42% da área visível para o satélite.

Seguindo esse cenário, o desmatamento acumulado entre agosto de 2013 a março de 2014 caiu 61%, em comparação com o mesmo período no ano anterior (o ano-calendário do desmatamento começa em agosto e termina em julho seguinte). Foram desmatados 560 km² desde agosto. Entre agosto e março do período passado, o desmatamento somou 1.430 km².

Veja no mapa do InfoAmazonia

 

Saiba Mais
Boletim do Desmatamento do SAD – Fevereiro e Março 2014 – PDF produzido pelo Imazon

Leia Também
Desmatamento dispara em janeiro, mas mantêm tendência anual de queda
Conservação para o Banco Mundial Ver
Estudo mostra que redução de área protegida favorece desmatamento

 

 

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.