Mudança no primeiro escalão do ICMBio

Daniele Bragança e Eduardo Pegurier
terça-feira, 15 abril 2014 22:06
Brant (acima) em audiência pública na Câmara dos Deputados. Foto: Câmara dos Deputados/2013.
Brant (acima) em audiência pública na Câmara dos Deputados. Foto: Câmara dos Deputados/2013.
Foram divulgadas hoje (15) no Diário Oficial da União as mudanças no primeiro escalão do Ministério do Meio Ambiente e nas autarquias ICMBio e Serviço Florestal Brasileiro. Entre as nomeações, está a de Sérgio Brant Rocha para o lugar de Giovanna Palazzi na Diretoria de Criação e Manejo de Unidades de Conservação do ICMBio.

Giovanna ficou apenas 13 meses no cargo. Ela foi antecedida por Pedro da Cunha e Menezes, hoje de volta à carreira de diplomata – e também colunista de ((o))eco –, que também ocupou a Diretoria de Criação e Manejo de Unidades de Conservação por um período curto, de 12 meses. Na época da saída de Menezes, o rumor foi de que ele teria sido derrubado pelo grupo do Ministério do Meio Ambiente mais conservador em relação a abertura de Parques Nacionais ao uso público e contra a simplificação de planos de manejo. Brant faz parte desse grupo e Menezes, ao contrário, é um aberto defensor do uso público e estava envolvido em um projeto para agilizar a confecção dos planos de manejo, cujo custo e morosidade, na prática, inviabilizam a abertura de mais parques como área de lazer ecológico da população.

Os boatos sobre a vinda de Brant para a autarquia que cuida das Unidades de Conservação circulam há pelo menos dois meses. Nos bastidores, sua indicação para o cargo é vista como um enfraquecimento da gestão do presidente Vizentin, já que a decisão não teria partido do próprio, mas sim da ministra Izabella Teixeira, da qual Brant era um assessor próximo.

Engenheiro Agrônomo de formação, Brant é um profundo conhecedor das unidades de conservação do país, responsável pela criação de grandes áreas protegidas desde que, nos anos 80, ingressou no serviço público. Por exemplo, ele participou da criação dos Parques Nacionais de Tumucumaque, Chapada Diamantina, Grande Sertão Veredas, Serra do Cipó e Fernando de Noronha.

Dança das cadeiras

Paulo Rogério Gonçalves, ex-chefe de Gabinete da Secretaria de Qualidade Ambiental do MMA, foi nomeado para o cargo de Diretor do Departamento de Gestão Estratégica da Secretaria-Executiva do Ministério do Meio Ambiente.

Já o engenheiro agrônomo Raimundo Deusdará Filho, que era Diretor do Departamento de Gestão Estratégica do Ministério do Meio Ambiente, passa a exercer o cargo de Diretor do Conselho Diretor do Serviço Florestal Brasileiro.

Sérgio Henrique Collaço de Carvalho era interino e agora assume a diretoria do Departamento de Áreas Protegidas da Secretaria de Biodiversidade e Florestas do Ministério do Meio Ambiente.

Giovanna Palazzi sai do ICMBio e volta para o Ministério do Meio Ambiente, ocupando o cargo de Diretora do Departamento de Florestas da Secretaria de Biodiversidade e Florestas do MMA. Antes da passagem pelo ICMBio, Giovanna era gerente de projetos do Departamento de Áreas Protegidas no MMA.

 

 

Leia Também
ICMBio: cai diretor que apoiava abertura dos parques
Suposta saída de chefe da APA de Guapimirim gera protesto
Coisas de que o Brasil precisa saber

 

 

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.