Notícias

Após terremoto, uma nova ilha surge no Paquistão

Uma ilha de rocha e lama surgiu na costa do Paquistão após um forte terremoto. Veja o antes e depois em imagens de satélite.

Paulo André Vieira ·
30 de setembro de 2013 · 8 anos atrás

No dia 24 de setembro de 2013 um terremoto de magnitude 7,7 na escala Richter atingiu o oeste do Paquistão, causando a morte de pelo menos 350 pessoas e deixando mais de 100.000 desabrigados. O terremoto causou também o surgimento de uma ilha na baía ao leste da cidade portuária de Gwadar. Uma imagem feita pelo satélite EO-1 da NASA no dia 26 de setembro mostra a nova ilha, que não estava lá em uma imagem anterior, de 17 de abril, feita pelo Landsat 8.

Nesta foto do Instituto Nacional de Oceanografia do Paquistão é possível ver a ilha mais de perto. Podemos ver que sua superfície é uma mistura de lama, areia fina e rocha sólida.

Aquela região é propícia para a formação dessas ilhas, também chamadas de vulcões de lama. Quando uma camada superficial de gases ou fluidos sob pressão é perturbada pelas ondas sísmicas de um tremor de terra, esses gases sobem para a superfície, levando rocha e lama com eles.

Essas ilhas não costumam durar muito tempo. Nas imagens abaixo podemos ver outro exemplo de uma ilha similar, registrada pelo EO-1 em janeiro de 2011, mas que não aparecia em imagens feitas no ano anterior.

Tal fenômeno não ocorre apenas no mar. A imagem abaixo mostra dois desses vulcões de lama próximos da costa do Paquistão. O maior deles, o Chandragup I, tem cerca de 100 metros de altura, com um cratera de lama de 15 metros de diâmetro que transborda periodicamente.

 

Leia também
A beleza das ilhas vistas do espaço
A fúria dos vulcões vistos do espaço

 

  • Paulo André Vieira

    Paulo André Vieira

    Produtor Editorial formado pela UFRJ, atua em ((o))eco desde 2007 escrevendo sobre geojornalismo e cuidando da edição e gestão do site.

Mais de ((o))Eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.