Costa Rica fecha os únicos dois zoológicos estatais

Daniele Bragança
segunda-feira, 5 agosto 2013 22:07
Animais sairão dos zoológicos, mas para sobreviver deverão permanecer em outro tipo de cativeiro. Foto: Wikimédia.
Animais sairão dos zoológicos, mas para sobreviver deverão permanecer em outro tipo de cativeiro. Foto: Wikimédia.

O Governo da Costa Rica resolveu fechar os dois únicos zoológicos estatais do país: o Zoológico Simon Bolivar e um centro de conservação localizado em Santa Ana. No lugar serão criados parques urbanos ou jardins botânicos para uso da população, sem animais em cativeiro. Para isso acontecer, o Ministério de Meio Ambiente e Energia (MINAE) decidiu não renovar o contrato com a Fundação de Proozologicos (Fudazoo), que administra os zoológicos há 20 anos.

“Decidimos comunicar a Fundazoo que não renovaremos o contrato. Estamos trabalhando, procurando um modelo para ter espaços que permitam a relação com a vida selvagem em sua forma direta”, disse Ana Lorena Guevara, a vice ministra do Meio Ambiente, que participou do anúncio feito à imprensa. O contrato com Fundazoo vence em maio de 2014.

O Parque Simon Bolivar abriga 71 espécies de aves, répteis, peixes, mamíferos e anfíbios. Já o Centro de Conservação de Santa Ana é uma área de 52 hectares onde se abriga o Museu Histórico Agrícola, além de espécies domésticas e selvagens.

O anúncio foi feito no dia 22 de junho. Mais de 342 animais serão transferidos para 28 centros de resgate administrados pelo sistema de unidades de conservação. Alguns serão soltos nas reservas florestais do país, mas a maioria continuará vivendo em cativeiro, pois não sabem se defender nem procurar comida.

Mesmo com o anúncio da transferência para centros de resgate, zoológicos privados ainda se empenham em conseguir a guarda de animais como jaguares, crocodilos e leões, que atraem público para seus negócios.

Para o ministro René Castro, do Meio Ambiente e Energia, o governo tem a responsabilidade de responder ao aumento da consciência ambiental da Costa Rica, “que não quer ver animais enjaulados”.

1 comentário em “Costa Rica fecha os únicos dois zoológicos estatais”

  1. Boa tarde a todos!

    Sei que a notícia é antiga e talvez meu comentário neste momento passe desapercebido. Porém, ainda assim, acho importante comentar. Atualmente coordeno o setor de Educação Ambiental do Zoo de Sorocaba (Parque Zoológico Municipal Quinzinho de Barros) e acabo de retornar das férias, de uma viagem feita à Costa Rica.

    Lá, fiquei como voluntária por cinco dias em centro de resgate de animais silvestres, tive contato e acompanhei (ainda que minimamente) o trabalho de pesquisadores da ONG Panthera e visitei o Parque Zoológico y Jardín Botánico Nacional Simón Bolívar. Em todas estas oportunidades conversei com muitas pessoas e pude trocar informações.

    Cheguei ao país acreditando que os seus zoológicos estavam fechados. Porém, a realidade para 2016 é que, nacionais ou não, os ZOOS DA COSTA RICA NÃO FORAM FECHADOS.

    Pelo o que coletei de informações nas minhas visitas e conversas, o que houve foi uma tentativa de fechar apenas o Parque Zoológico y Jardín Botánico Nacional Simón Bolívar (que fica na capital San José) por ser uma instituição antiga e com recintos antiquados (não sei dizer se haviam mais motivos). Porém, pelo o que pude entender, o mesmo é administrado por uma Fundação cujo contrato com o governo ainda não acabou, logo, não pôde ser fechado.

    Em conversa com um profissional que trabalha neste zoo, ele disse que não há previsão de fechamento e que a notícia de que os zos do país foram fechados é errada. Algumas pessoas parecem saber que esta notícia foi amplamente divulgada em outros países e, ao que pude perceber, até mesmo na própria Costa Rica existem cidadãos que acreditam que este zoológico nacional está fechado, porém eu estive visitando o mesmo e posso afirmar que está aberto e parece não haver previsão de fechamento.

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.