Notícias

Urbanização ameaça áreas de Mata Atlântica do Rio de Janeiro

Mudanças acontecem principalmente na Zona Oeste, onde estão concentradas as principais áreas remanescentes de Mata Atlântica da cidade

Daniel Santini ·
16 de maio de 2013 · 8 anos atrás

Com base em imagens de satélite, é possível constatar a urbanização acelerada da Zona Oeste do Rio de Janeiro nas três últimas décadas. A região que mais tem sofrido alterações é justamente onde estão concentradas as principais áreas remanescentes de Mata Atlântica da cidade, conforme mapa detalhado da cobertura vegetal apresentado em 2011 pela Prefeitura do Rio de Janeiro (clique para baixar uma cópia do documento em PDF). Há hoje apenas 9 bairros com mais de 50% de cobertura de Mata Atlântica, dos quais 7 estão na Zona Oeste.

No mapa abaixo, disponibilizado pelo Google Earth Engine, as alterações que a cidade sofreu de 1984 a 2012 ficam visíveis. Enquanto na Zona Sul, já saturada, poucas mudanças acontecem, em bairros como Jacarepaguá dá para ver as áreas verdes sendo substituídas por aslfato e construções (clique no campo de busca para ver alterações no período em outras regiões do planeta).

O mapa de cobertura vegetal da cidade também pode ser acessado pelo sistema Sigfloresta (é necessário instalar o programa Silverlight para ver), que traz informações detalhadas sobre o tipo de vegetação e as áreas em que se concentram as principais reservas. As informações são de 2010 e 2011, mas o mapa encontra-se relativamente atualizado. As imagens de satélite, porém, indicam que são necessárias políticas públicas específicas para regular e conter o avanço da urbanização sobre áreas de vegetação natural remanescentes.

Fontes de dados e referências desta reportagem:

Informações sobre a localização das áreas remanescentes de Mata Atlântica estão disponíveis na página da Secretaria Municipal de Meio Ambiente do Rio de Janeiro. Um mapa em PDF com a cobertura vegetal detalhada da cidade pode ser acessado neste link. As imagens de satélite do Google Earth Engine também estão disponíveis para outras regiões do planeta. A ferramenta ajuda a visualizar impactos de mudanças climáticas e alterações ambientais. Mais informações em inglês aqui.

 

 

 

 

  • Daniel Santini

    Responsável pela plataforma ((o)) eco Data. Especialista em jornalismo internacional, foi um dos organizadores da expedição c...

Leia também

Notícias
27 de setembro de 2021

Ibama diz não que lhe cabe avaliar as propostas antiambientais sugeridas pela pasta do Guedes

Em ofício, presidente do Ibama afirmou que as proposições “dizem respeito às ações governamentais (políticas públicas) que não competem ao Ibama”. Sociedade civil pede para que MPF tome providências

Análises
27 de setembro de 2021

A Amazônia no Acre pede socorro

A contribuição do governo do Estado do Acre para a boiada do desmatamento e das queimadas avançar no território acreano. Estado é o terceiro que mais desmatou em agosto

Notícias
24 de setembro de 2021

Grupo de Trabalho finaliza relatório e recomenda manter separados o Ibama e ICMBio

Relatório foi publicado nesta sexta-feira na página oficial do Ministério do Meio Ambiente. No final de julho, o MPF entrou com ação civil pública contra a fusão

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta