Notícias

Tartaruga de pente: preserve seu casco tão bem penteado

A homenageada desta semana em ((o))eco está ameaçada pela caça predatória e pela poluição dos oceanos. Foto: Projeto Tamar

Redação ((o))eco ·
26 de outubro de 2012 · 9 anos atrás

A homenageada desta semana em ((o))eco é a tartaruga de pente (Eretmochelys imbricata), uma espécie de águas tropicais. A tartaruga de pente pode ser encontrada nos oceanos Atlântico, Pacífico e Índico, preferencialmente nos arredores de recifes de corais e em locais de águas rasas. Pesam até 150 quilos e sua bela carapaça pode medir cerca de 110 centímetros. Além de bela, sua carapaça é muito valiosa no mercado, usada para fabricação de aros de óculos, bijuterias e, ironicamente, pentes. Essa caça predatória já levou a tartaruga de pente a uma situação de quase extinção e é graças a vários programas e projetos de educação ambiental e preservação, como o famoso Projeto Tamar, que lentamente o número de indivíduos da espécie aumenta.

Ainda assim está criticamente ameaçada e precisa de atenção. Um dos períodos que exigem mais cuidados é durante a desova, que acontece no verão, com destaque para o litoral norte da Bahia e Sergipe, e o litoral sul do Rio Grande do Norte. São postos entre 70 e 180 ovos em cada ninho e o tempo de incubação pode durar de 45 a 75 dias.

A tartaruga possui um extenso cardápio que inclui esponjas, anêmonas, lulas e camarões, mas uma coisa é fato: sacos plásticos não são um alimento nutritivo e, inclusive, pode matá-las durante a ingestão. Não só a caça predatória, mas também a poluição é um grande inimigo dessa espécie tão dócil e que precisa ser preservada. Cabe a todos fazer sua parte!

 

Leia também
Bellini e as tartarugas – com Cláudio Bellini
Adriana e as tartarugas – heroínas anônimas
Filhotes de tartaruga na Paraíba
Pirarucu: a doçura do gigante de águas doces
O jacaré-de-papo-amarelo e seu sorriso nada amarelo

 

 

 

Leia também

Notícias
21 de junho de 2021

Estado do Rio reconhece sua 100ª reserva particular

A marca da centésima Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) foi alcançada na última semana. Reservas correspondem a mais de 8.400 hectares protegidos no estado

Reportagens
21 de junho de 2021

Coalizão entre ciência e sociedade acena com esperança para a Baía de Guanabara

Universidade do Mar buscará potencializar parcerias para enfrentamento da problemática socioambiental da baía mais populosa e degradada do Estado do Rio de Janeiro

Salada Verde
21 de junho de 2021

Salles exonera superintendente do Ibama no Acre

Helen de Freitas Cavalcante ficou três meses no cargo. Antes de assumir a superintendência do Ibama, advogada atuava na defesa de infratores ambientais

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta