Notícias

Uma esperança para a ararinha-azul

Desde o ano 2000 que um exemplar da espécie não é visto na natureza. Mas ararinhas-azuis nascidas em cativeiro aumentam a esperança de que a ave possa voltar um dia ao seu habitat. Foto: Patrick Pleu

Redação ((o))eco ·
8 de junho de 2012 · 9 anos atrás
Foto: Patrick Pleu.

O animal de hoje em ((o))eco é a ararinha-azul (Cyanopsitta spixii), protagonista de um dos mais tristes capítulos da história ambiental brasileira. Desde o ano 2000 que um exemplar da espécie não é visto na natureza. As duas ararinhas da foto, batizadas de Paul e Paula, nasceram no inicio de julho de 2011 no aviário da Associação para a Conservação dos Papagaios Ameaçados (ACTP, na sigla em inglês), em Berlim.

Como elas, hoje, as últimas ararinhas – cerca de 80 indivíduos – vivem em cativeiro. Entretanto, programas de conservação em criadouros têm aumentado a esperança de que a ave possa voltar, dentro de alguns anos, ao seu habitat, à Caatinga e às matas ciliares de afluentes temporários do rio São Francisco.

A ararinha-azul mede cerca de 60 centímetros, e pesa menos de de meio quilo. Tem uma plumagem em diversos tons de azul, com as asas e a cauda em tonalidades mais vivas que a barriga. Na natureza se alimentavam principalmente de sementes de pinhão-bravo e faveleira, e se reproduziam no período das chuvas, entre outubro e março. Foto: Patrick Pleu

 

 

Leia Também
Novas ararinhas-azuis no pedaço
Ararinha pode retornar ao Sertão
A duras penas
Aumenta a populacao de ararinhas-azuis nascidas em cativeiro

 

 

 

Leia também

Salada Verde
28 de julho de 2021

Governador do Mato Grosso pede a Bolsonaro que “estadualize” Chapada dos Guimarães

Durante reunião com o presidente, o governador Mauro Mendes pediu a estadualização do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães para que estado possa "fomentar o turismo"

Colunas
28 de julho de 2021

Dimensões Humanas como parte do processo de decolonização nas ciências ambientais

Este mês abordamos as dimensões humanas envolvidas no processo de decolonização, ou seja, no processo de ‘quebrar’ a práxis enraizada por processos colonizadores onde a cosmovisão e práticas de um certo grupo são impostas a outro

Salada Verde
28 de julho de 2021

Prefeitura do Rio de Janeiro nomeia subsecretário que irá liderar transição verde

Ruan Lira assume nesta quarta-feira (28) a chefia da subsecretaria de Transição Verde, criada para coordenar metas climáticas assumidas pelo município

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta