Notícias

Bioma Mata Atlântica encolheu 13 mil hectares

INPE e SOS Mata Atlântica divulgaram novas perdas do bioma para o período de maio de 2010 a maio de 2011. Minas e Bahia foram campeãs.

Daniele Bragança ·
29 de maio de 2012 · 9 anos atrás
Casa isolada em Itaopim, na região de Jequitinhonha. (foto: Jovem Rural)
Casa isolada em Itaopim, na região de Jequitinhonha. (foto: Jovem Rural)

Minas e Bahia foram os Estados que mais desmataram a Mata Atlântica durante o período de maio de 2010 a maio de 2011. A informação vem do Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica, com dados novos divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e a Fundação SOS Mata Atlântica. Em um ano, a floresta perdeu 13,3 mil hectares de mata. Se forem considerados os últimos 25 anos o número chega a 1,7 milhões de hectares, o equivalente a 3 vezes a área territorial do Distrito Federal.

O número continua preocupando quando se lembra que o bioma Mata Atlântica é o que mais sofreu desmatamento desde que o Brasil é Brasil. Só sobraram 7,9% de mata original, excluindo fragmentos de menos de 100 hectares. A boa notícia é que o desmatamento continua caindo. Os dados do Atlas mostram uma redução rápida do total ano a ano. Por exemplo, na primeira edição do Atlas, para o período de 1985 a 1990, a média de desmatamento anual foi de 93,3 mil hectares, ou 7 vezes mais do que nesta última medição.

As 6 cidades campeãs no Ranking do desmatamento ficam nesses estados de Minas Gerais e Bahia, os dois estados em que ocorreu a maior parte do desmatamento com 6.339 (MG) hectares e 4.493 (BA). Os números podem ser maiores porque durante o período analisado havia muita nuvens, o que prejudica a captação de imagens por satélites.

“Embora tenha tido uma leve queda, provavelmente o índice apresentado hoje seria maior se não tivéssemos problemas com nuvens. O (ritmo de) desmatamento continua estável, o que é preocupante”, disse Marcia Hirota, coordenadora do Atlas pelo SOS Mata Atlântica, em referência aos dois Estados que encabeçam o ranking dos que mais desmataram no período: Minas Gerais e Bahia.
 
O Atlas avaliou 93% do bioma Mata Atlântica. Nos estados do Nordeste que estão dentro do limite do bioma – Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Sergipe e Rio Grande do Norte – a análise foi impossibilitada devido a ocorrência de nuvens.


Ranking por municípios
Minas Gerais e Bahia lideram o ranking, com as seis cidades que mais desmataram no período 2010-2011. Águas Vermelhas (MG), Canavieiras (BA) e Jequitinhonha (MG) foram as campeãs, com 1.367 hectares, 1.337 hectares e 1.270 hectares devastados. Em quarto lugar ficou a cidade baiana de Belmonte, com 902 hectares. Na quinta posição, outro município mineiro: Ponto dos Volantes, com 539 hectares. Cândido Sales, na Bahia, ficou em sexto lugar, com 363 hectares.

*Com informações da Assessoria de Imprensa do INPE

Desflorestamentos – período 2010-2011 (em ha)

  UF Área UF Área Original do Bioma % UF Remanescentes Florestais Decremento (período 2010-2011)
2010 2011
MG 58.697.565 27.235.854 46%   3.087.045 6.339
BA* 56.557.948 18.875.099 33%   2.408.648 4.493
MS 36.193.583 6.366.586 18%   969.684 588
SC 9.591.012 9.591.012 100%   2.322.891 568
ES 4.614.841 4.614.841 100%   512.590 364
SP 24.873.203 16.918.918 68%   2.642.468 216
RS 28.403.078 13.759.380 48%   1.132.084 111
PR 20.044.406 19.667.485 98%   2.429.652 71
RJ 4.394.507 4.394.507 100%   861.086 92
10º GO 34.127.082 1.051.422 3%   33.614 33
               
* Estado parcialmente avaliado


  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Reportagens
22 de setembro de 2021

Mudança climática deve alterar o funcionamento de comunidades de microrganismos marinhos, aponta estudo

Grupo de pesquisadores de várias partes do mundo concluiu que o plâncton do planeta se organiza em consórcios microbianos, em que uma espécie depende da outra para viver

Reportagens
22 de setembro de 2021

Avança no MMA pedido do Ministério da Economia para afrouxar normas ambientais

Pasta comandada por Guedes busca satisfazer demandas do setor privado. Mudanças dão continuidade ao que Salles tentou fazer em maio de 2020, quando sugeriu “passar a boiada”

Notícias
21 de setembro de 2021

Justiça de Rondônia considera inconstitucional lei que extinguiu 11 UCs no Estado

Decisão é novo capítulo de novela jurídica em torno das UCs de Rondônia. Leis posteriores à norma agora considerada inconstitucional ainda colocam em risco áreas protegidas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. pequenas vitórias não compensam os danos causados deliberadamente por legisladores e executivos que estão determinados em reverter as proteções e ganhos ambientais conseguidos a duras penas, nas últimas décadas.