Notícias

Transparência já: Lei de Acesso à Informação entrou em vigor

A partir de hoje, o cidadão pode solicitar informações públicas sem explicar a motivação. Saiba como se prepararam os órgãos ambientais.

Daniele Bragança ·
16 de maio de 2012 · 9 anos atrás
No Site do INPE, o símbolo amarelo informa o link para a página especial de atendimento aos pedidos de Acesso à Informação. Lei entrou hoje em vigor.
No Site do INPE, o símbolo amarelo informa o link para a página especial de atendimento aos pedidos de Acesso à Informação. Lei entrou hoje em vigor.

O cidadão é rei. Com raras exceções, ninguém mais pode negar informações de órgãos públicos. Hoje, entrou em vigor a Lei de Acesso à Informação, sancionada em novembro do ano passado. Ela obriga o poder público em todas suas esferas – municipal, estadual e federal – a fornecer informações solicitadas por cidadãos, empresas e entidades da sociedade civil organizada. A norma também prevê responsabilização dos agentes públicos que retardarem ou negarem indevidamente a entrega de informações. E isso inclui os órgãos de meio ambiente.

Agora, será possível pedir qualquer informação sem precisar justificar a motivação do pedido. Basta o cidadão se identificar e, então, exigir a transparência que agora é direito. Todo e qualquer documento público poderá ser solicitado, salvo as restrições de quando se tratar de informação pessoal ou for classificado como informação reservada, secreta e ultrassecreta.

Pela norma, informações disponíveis devem ser dadas imediatamente. Caso dependam de pesquisa, o prazo é de 20 dias, prorrogáveis por mais dez. A nova lei também dá fim ao sigilo eterno de documentos oficiais. Pela nova regra, o prazo máximo de sigilo foi limitado a 25 anos para documentos ultrassecretos, 15 anos para os secretos e cinco para os reservados. Os documentos ultrassecretos poderão ter o prazo de sigilo renovado apenas uma vez.

Como a lei também determina que os órgãos e entidades públicas deverão divulgar um rol mínimo de informações proativamente através da internet, vários sites do governo federal lançaram hoje nos seus portais o link para a página de acesso à informação do órgão. Ele é identificado por um selo em forma de balão amarelo de quadrinhos, com a letra “i” em verde (ver ilustração).

O Ministério do Meio Ambiente destacou dois servidores para atuarem efetiva e exclusivamente no Serviço de Informação do Cidadão (SIC), além de outros 5 que trabalham no Centro de Informação e Documentação Ambiental. A pessoa responsável pelas atividades do SIC é a Sra. Elizabet Silva da Mata. Informações sobre horário de funcionamento, local e contatos podem ser obtidos aqui.

A Agência Nacional das Águas destacou três servidores para cuidar diretamente do Serviço de Informação do Cidadão (SIC). Segundo a assessoria de imprensa do órgão, não haverá a contratação de servidores para executar a função.

O mesmo acontece com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e o Serviço Florestal Brasileiro. O portal de acesso à informação pública no site do Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro também está com uma página especial para atender os pedidos dos cidadãos.

No âmbito do Ibama, o presidente substituto, Fernando Marques, criou um Grupo de Trabalho (Portaria nº 510/12) com o objetivo de discutir, elaborar e articular estratégias, planos e metas para implementação e cumprimento da Lei de Acesso à Informação. Esse grupo é coordenado pelos servidores da auditoria, Jorge Soares (titular) e Arlete Bernardo de Oliveira (suplente), e integrado com representantes de todas as diretorias e assessorias.  O Serviço de Informação ao Cidadão do Ibama contará com atendimento presencial, online e por telefone (XX61 3316-1611).

Brasil tem lei de acesso à informação ambiental desde 2003

Tanto o Ministério do Meio Ambiente quanto às autarquias ligadas ao Ministério do Meio Ambiente já contam com páginas especiais para o cumprimento da Lei 12.527. Mas o que poucos sabem é que o acesso às informações ambientais já está previsto desde abril de 2003, pela lei nº 10.650, que dispõe sobre o acesso público aos dados e informações ambientais existentes nos órgãos entidades integrantes do Sistema Nacional do Meio Ambiente.

A lei de 2003 junto com a Lei de Acesso à Informação, que entra em vigor hoje, podem ser usadas como base para a obtenção de dados dos órgãos ambientais. A partir de agora sigilo é exceção e a transparência é a regra.


Leia também
Para quem se interessa pelo assunto, o artigo a seguir de (o)eco só foi possível, porque o autor, Gustavo Faleiros, evocou a lei 10.650, de 2003 para obter a documentação necessária à apuração: ‘Os bagres de Lula’.

Saiba mais
O site “Queremos Saber” faz o pedido por você e publica, a pergunta e a resposta do órgão onde a informação foi solicitado.

Já a Cartilha “Acesso à Informação Pública”, além de ser uma introdução à Lei que trata do assunto (nº 12.527, sancionada pela presidente da República em 18 de novembro de 2011), também destaca aspectos e vantagens de uma cultura de acesso, em detrimento à cultura do segredo.

Sites que valem a pena acessar para entender melhor o assunto:

 
  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Salada Verde
28 de julho de 2021

Governador do Mato Grosso pede a Bolsonaro que “estadualize” Chapada dos Guimarães

Durante reunião com o presidente, o governador Mauro Mendes pediu a estadualização do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães para que estado possa "fomentar o turismo"

Colunas
28 de julho de 2021

Dimensões Humanas como parte do processo de decolonização nas ciências ambientais

Este mês abordamos as dimensões humanas envolvidas no processo de decolonização, ou seja, no processo de ‘quebrar’ a práxis enraizada por processos colonizadores onde a cosmovisão e práticas de um certo grupo são impostas a outro

Salada Verde
28 de julho de 2021

Prefeitura do Rio de Janeiro nomeia subsecretário que irá liderar transição verde

Ruan Lira assume nesta quarta-feira (28) a chefia da subsecretaria de Transição Verde, criada para coordenar metas climáticas assumidas pelo município

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta