Notícias

Google está entre as empresas mais verdes da Internet

Com programas de eficiência energética e mitigação das emissões de CO2, a Google destaca-se entre as empresas de Internet mais ambientalmente corretas.

Flávia Moraes ·
13 de outubro de 2011 · 10 anos atrás

Usar You tube, Gmail e outros aplicativos não demandam tanta energia do computador e deram título verde ao Google em estudo do Greenpeace
Usar You tube, Gmail e outros aplicativos não demandam tanta energia do computador e deram título verde ao Google em estudo do Greenpeace
Um estudo divulgado pelo Greenpeace, em abril deste ano, aborda a questão da eficiência energética e destaca a Google como a empresa de Internet que melhor trata da necessidade de aumentar a eficiência e também de promover a mudança de suas fontes de eletricidade para as renováveis. O único item não elogiado pela pesquisa foi a transparência com relação aos dados.

Para melhorar a imagem da empresa, o vice-presidente sênior de infraestrutura técnica, Urs Hoelzle, revelou no Google Green Blog que todos tem aprendido muito nesse processo de redução de impactos ambientais da Google e busca pela transparência. “Adicionamos uma nova seção em nosso blog chamada ‘The Big Picture’, na qual divulgamos os números do nosso consumo anual de energia e emissão de carbono”, justifica.

Gary Cook, analista de tecnologia da informação (TI) do Greenpeace afirma que “a partir dos resultados da pesquisa, espera-se que mais empresas do ramo se sintam motivadas a serem transparentes e debater o uso de energia nos serviços online. Queremos ver outras companhias, como a Apple, Facebook e Microsoft fazendo o mesma que a Google”.

Em 2010, dados revelam que, antes de compensar as suas emissões, a Google gerou um total de 1,46 milhões de toneladas métricas de dióxido de carbono e consumiu 2,26 megawatt hora de eletricidade. Contudo, afirma que sem as medidas de eficiência energética que possui, esse número poderia ser duas vezes maior. Seguindo na linha da energia limpa, a empresa abriu seu novo centro de dados na Finlândia, o qual usa um sistema único de resfriamento de água do mar que requer bem pouca eletricidade.

Na contagem da Google, nem o usuário da Internet ficou de fora. Foi elaborada uma tabela para ter conhecimento do quanto se está emitindo dióxido de carbono e consumindo energia ao realizar atividades online, como fazer buscas e ver vídeos. Para facilitar a compreensão, usou-se certas tarefas cotidianas como equivalência. Dê uma olhada e veja o quanto você também faz parte desse processo.

A Google calculou a emissão de dióxido de carbono para algumas atividades cotidianas e objetos comparando com o uso do YouTube e do Gmail. Também buscou os valores do consumo de energia relacionado. Um minuto assistindo vídeos no YouTube requer 0,0002 quilowatt/hora (kWh). Para usar o Gmail anualmente o internauta utiliza 2,2 kWh.
A Google calculou a emissão de dióxido de carbono para algumas atividades cotidianas e objetos comparando com o uso do YouTube e do Gmail. Também buscou os valores do consumo de energia relacionado. Um minuto assistindo vídeos no YouTube requer 0,0002 quilowatt/hora (kWh). Para usar o Gmail anualmente o internauta utiliza 2,2 kWh.


Leia também

Notícias
6 de maio de 2021

Responsável por relatório que expõe ineficiência no Ibama, servidor teria sido ameaçado

Rumores indicam que o servidor do Ibama teria sido ameaçado após escrever nota técnica expondo ineficiência do atual sistema de multas do órgão

Notícias
6 de maio de 2021

Organizações pressionam contra decisão de reduzir UCs em Rondônia

Projeto de lei que remove mais de 200 mil hectares de duas unidades de conservação em Rondônia está na mesa do governador para sanção

Notícias
5 de maio de 2021

Salles mente sobre orçamento e Fundo Amazônia em audiência na Câmara

Ministro espalhou desinformação sobre reserva legal e voltou a associar desmatamento à pobreza

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. AvatarPaulo diz:

    $alle$$$, mentindo até morrer. E os Biomas ministros, fod……………