Notícias

Mudanças climáticas e saúde

Novo relatório da Organização Mundial da Saúde avalia que os impactos de alterações no sistema climático global são, no mínimo, preocupantes.

Redação ((o))eco ·
12 de janeiro de 2010 · 12 anos atrás

Novo relatório da Organização Mundial da Saúde, lançado no dia 10 de janeiro,  avalia que os impactos de alterações no sistema climático global são, no mínimo, preocupantes. De acordo com o documento de 36 páginas (veja link abaixo),  “um mundo com um clima mais quente e variável deve levar a maior concentração de poluentes nas cidades e aumentar a transmissão de doenças através da água”. Nos cálculos da organização, já nos dias de hoje, 1,2  milhão de pessoas morrem todos os anos por doenças causadas por poluição do ar. Outras 2,2 milhões são vítimas de diarréias originadas na má qualidade da água que bebem. 

Apesar do tom sombrio dos parágrafos de abertura, o tom geral do relatório é positivo. A principal mensagem é de que com políticas de redução de emissões de gases de efeito estufa é possível ter impactos positivos sobre a saúde humana. Por exemplo, medidas de eficiência no uso de energia no transporte acabam por cortar os níveis de poluição do ar, beneficiando as populações urbanas.

Para ler o relatório completo “Mudanças climáticas e saúde humana”, clique aqui ( em inglês)

Leia também

Análises
17 de setembro de 2021

O Brasil no coração da conservação mundial da natureza

O Congresso da IUCN anunciou a agenda de conservação da natureza para a próxima década, invocando os governos a empreender uma recuperação baseada na natureza no pós-pandemia

Notícias
17 de setembro de 2021

Ministério cria programa para fazer o que a Agência Nacional de Águas já faz

Lançado nesta sexta (17), o Rio+Limpos tem como objetivo disponibilizar dados sobre qualidade das águas e fomentar ações de melhoria e saneamento, competências historicamente feitas pela ANA

Notícias
17 de setembro de 2021

Tocantins vende terras públicas invadidas a R$ 3,50 o hectare

Valor é o mais baixo entre os estados da Amazônia, revela estudo do Imazon. Além do preço irrisório, Tocantins tem pior colocação no ranking de transparência

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta