Notícias

V Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação – Dia 20 de junho

Palestras: 8:30hs - Por que os parques tropicais não estão cumprindo suas funções, e o que precisa ser feito? - John...

Redação ((o))eco ·
20 de junho de 2007 · 14 anos atrás

Palestras:

8:30hs – Por que os parques tropicais não estão cumprindo suas funções, e o que precisa ser feito?
John Terborgh

Extensões territoriais cada vez maiores têm sido demarcadas e protegidas em forma de parques nacionais em países em desenvolvimento com florestas tropicais. Mas, infelizmente, só no papel. Esta é a opinião de John Terborgh, diretor do Centro de Conservação Tropical da Universidade de Duke, nos Estados Unidos. A capacidade de gestão dessas áreas é sempre embarreirada quando há pobreza, falta de democracia, transparência, economia baseada na extração de recursos naturais primários e problemas fundiários. Nessas condições, os esforços de conservação estão fadados ao fracasso.

10hs – Representatividade ambiental das unidades de conservação: propondo novas UCs no Tocantins
Fábio Olmos

O Tocantins é um estado com crescentes pressões contra seus ambientes naturais e tem áreas importantes a serem protegidas. Diante da iminente destruição de habitats, os sistemas de unidades de conservação integrais devem ser projetados para que eles resistam a condições cada vez mais adversas. Na palestra do biólogo Fábio Olmos, ele dá detalhes de como o Tocantins pode assegurar uma proteção mais eficaz à biodiversidade local.

11hs – Visitação em unidades de conservação de megapaíses com megadiversidade
Daan Vreugdenhil

Daan Vreugdenhil, diretor do World Institute for Conservation & Environment, junto com mais sete pesquisadores, comparou o desempenho de visitação em áreas protegidas de Brasil, México e China. Eles descobriram que mesmo com a economia em fase ruim, os brasileiros preferiram passear no exterior do que conhecer seu patrimônio natural. Com isso a natureza perdeu potenciais aliados e a economia deixou de arrecadar com turismo em áreas protegidas, responsáveis por mais da metade dos atrativos turísticos do país.

14hs – Financiando áreas protegidas: fechando as lacunas por meio da análise de mercado
Gonzalo Castro

Embora se tenha evoluído substancialmente na obtenção de recursos para áreas protegidas, os esforços públicos ou de meios filantrópicos em países em desenvolvimento ainda estão longe de saciar, sozinhos, todas as necessidades do setor. A alternativa é o desenvolvimento do mercado de créditos de carbono para combater o aquecimento global de forma que estimule a conservação em países pobres. E de acordo com Gonzalo Castro, do Sustainable Forestry Management, não existe possibilidade de alcançar este objetivo sem investimentos em áreas florestadas.

17hs – Concessão de Florestas Públicas na Amazônia
Antônio Carlos Hummel

Todas as florestas nacionais do Brasil não estão em condições ideais de manejo e implantação. Quem admite é o diretor de Florestas do Ibama, Antônio Carlos Hummel. No entanto, ele acredita que o manejo florestal seja uma estratégia importante para conciliar produção e proteção dessas unidades de conservação. Para concretizar essa idéia, o Ibama, o Serviço Florestal Brasileiro e o Instituto Chico Mendes devem trabalhar conjuntamente.

Entendendo populações locais para facilitar a conservação da onça-pintada no Brasil
Peter Crawshaw Jr.

Para conseguir preservar populações de felinos, como outros animais, é preciso envolver as comunidades locais e torná-las aliadas da conservação. Até no Pantanal, onde a quantidade de onças-pintadas ainda é notória, elas estão ameaçadas porque significam risco a proprietários de gado. Peter Crawshaw Jr., do Ibama, defende que é necessário compreender o imaginário dos pantaneiros sobre esses animais para traçar estratégias mais eficientes para a espécie.

Compreendendo os conflitos na conservação de recursos naturais
Tara Teel

Os conflitos entre o homem e a vida selvagem representam um dos maiores desafios à gestão de áreas protegidas. Segundo Tara Teel, da Universidade do Colorado, embora sejam locais de refúgio, a proximidade dessas áreas com as cercanias habitadas representa riscos econômicos e à saúde. Há, por exemplo, registro de centenas de mortes na Ásia e na África por acidentes envolvendo animais e humanos. Por isso, a União Mundial para Conservação da Natureza recomendou recentemente que tais conflitos sejam evitados e mitigados como estratégia fundamental para conservação em qualquer parte do planeta.

Leia também

Salada Verde
27 de setembro de 2021

NDC brasileira é pauta principal na 3 edição Conferência Brasileira de Mudança do Clima

Com transmissão online e gratuita, evento proporciona cinco dias de debates, com a presença de governadores, lideranças indígenas, jovens ativistas e organizações da sociedade civil

Notícias
27 de setembro de 2021

Ibama diz não que lhe cabe avaliar as propostas antiambientais sugeridas pela pasta do Guedes

Em ofício, presidente do Ibama afirmou que as proposições “dizem respeito às ações governamentais (políticas públicas) que não competem ao Ibama”. Sociedade civil pede para que MPF tome providências

Análises
27 de setembro de 2021

A Amazônia no Acre pede socorro

A contribuição do governo do Estado do Acre para a boiada do desmatamento e das queimadas avançar no território acreano. Estado é o terceiro que mais desmatou em agosto

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta